Quantcast
APED

APED defende manutenção das negociações da contratação coletiva de trabalho

APED defende manutenção das negociações da contratação coletiva de trabalho

A APED apelou esta quarta-feira (22 de abril) ao sentido de responsabilidade dos sindicatos e defende que se devem manter as negociações relativas à contratação coletiva de trabalho. A posição surge depois dos trabalhadores dos hiper e supermercados terem anunciado que vão avançar com uma greve no próximo dia 1 de maio, Dia do Trabalhador.

Contactada pela DISTRIBUIÇÃO HOJE, Ana Isabel Trigo Morais, diretora-geral da APED, explicou que “estamos empenhados num desfecho positivo decorrente das negociações que temos vindo a desenvolver e apelamos à manutenção do diálogo, para que possamos levar a bom porto a negociação referente ao contrato coletivo, a bem de todos os colaboradores do setor do retalho”.

 

De acordo com a Federação Portuguesa dos Sindicatos do Comércio Escritórios e Serviços (FEPCES), a greve anunciada é um protesto contra as condições de trabalho, horários e propostas de aumentos salariais feitas pelas empresas do sector num encontro de dirigentes sindicais recentemente realizado.

Em causa está, entre outras coisas, uma proposta de aumentos salariais avançada pela Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED), que segundo a FEPCES, “não chega a 1% sobre os salários de 2009.”

 

A 1 de maio de 2014, os sindicatos dos trabalhadores dos hiper e supermercados já haviam marcado uma greve, na altura para contestar a abertura destes espaços no Dia do Trabalhador.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever