Retalho

Amazon testa “Uber” dos camiões

Amazon testa “Uber” dos camiões

Segundo avança alguma imprensa nos EUA, a Amazon tem vindo a testar o que denominam de “Uber dos camiões”, desde o ano passado. Ou seja, a empresa de Jeff Bezos pretende que este novo serviço online, que combina motoristas de camião com transportadores, seja o primeiro passo para o lucrativo negócio dos fretes online.

O lançamento de um serviço de frete online ajudará a Amazon a gerir melhor a sua rede de transportadoras e a agilizar o processo de carga, que permanece altamente ineficiente, com a maioria das entregas a serem processadas por telefone ou fax.

Este passo da Amazon é uma clara investida no mercado de transporte de mercadorias onde operam já concorrentes com Uber Freight, C.H. Robinson ou XPO Logistics.

O site freight.amazon.com, lançado em 2018, permite aos remetentes obter cotações instantâneas sobre os pacotes que desejam enviar entre os armazéns. O serviço está atualmente em versão beta e está disponível apenas para remessas entre armazéns em cinco estados – Connecticut, Maryland, Nova Jersey, Nova Iorque e Pensilvânia – de acordo com o site da Amazon.

Segundo fontes ligadas ao processo, existem poucos operadores a utilizar o serviço, uma vez que a Amazon só permite camiões aprovados participem do projeto.

Uma vez solicitada e aceite a remessa por uma empresa de transporte, os detalhes são compartilhados por meio de uma aplicação móvel chamada Relay, lançada em 2017, e que serve para os motoristas dos camiões receberem informações adicionais de frete, como o despacho e o rastreamento de rotas, bem como procedimentos de check-in agilizados no depósito.

Em um comunicado à CNBC, representantes da Amazon confirmaram a existência do serviço: “Trabalhamos com muitos fornecedores de serviços na nossa rede de transporte e há muito tempo utilizamo-los para transportar cargas para a Amazon. Este serviço, destinado a utilizar melhor a nossa rede de fretes, existe há algum tempo”.

A Amazon promove o serviço como uma forma dos expedidores obterem acesso fácil à sua grande rede de operadoras. No seu site, pode ler-se: “aproveite a escala da Amazon à medida que ampliamos a nossa rede de operadores para oferecer o melhor serviço e ótimas tarifas”.

A Uber Freight, um serviço similar, foi lançado oficialmente nos EUA em 2017 e gerou mais de 125 milhões de dólares em receita no último trimestre (mais de 110 milhões de euros), de acordo com o recente pedido de IPO da Uber. Já a CH. A Robinson, uma das maiores empresas de logística do mundo, registou mais de 16 mil milhões em receita em 2018 (o que equivale a cerca de 14 mil milhões de euros).

De acordo com um estudo feito pela Armstrong & Associates para a Uber, este mercado valia, em 2017, 72 mil milhões de dólares (cerca de 64 mil milhões de euros), revelando, igualmente, que as empresas gastaram um total de 700 mil milhões de dólares (aproximadamente 625 mil milhões de euros) na aquisição de camiões nos EUA, em 2017.