Investimento

Prio investe 3 M€ na recolha de óleos alimentares usados

A Prio anunciou esta quinta-feira (27 de outubro) que vai investir um total de 3 milhões de euros num projeto-piloto para a recolha de óleos usados. O objetivo da empresa é tornar-se “no principal coletor de óleos alimentares usados no mercado português”, recolhendo cerca de “30% dos 110 milhões de litros de óleo alimentar vendidos anualmente.”

Numa nota enviada às redações, a empresa refere que o projeto tem início já no próximo mês e deverá conseguir “gerar matéria-prima, que irá beneficiar a cadeia de valor integrada da indústria dos biocombustíveis”

“O biodiesel tem vindo a ser cada vez mais encarado como uma ferramenta de redução de CO2 e tem vindo a assumir uma importância crescente na promoção da sustentabilidade, em Portugal e no restante espaço comunitário. Na Prio estamos presentes em toda a cadeia de valor dos biocombustíveis, pois acreditamos que esta é a melhor forma de garantir a elevada qualidade dos combustíveis distribuídos, diminuindo, ao mesmo tempo, o seu impacto no meio ambiente. Este é mais um passo nesse sentido”, refere Pedro Morais Leitão, CEO da Prio.

O investimento de 3 milhões de euros será feito de forma faseada durante os próximos quatro anos e arranca com a instalação de cinco unidades de recolha avançadas e 45 unidades tradicionais.

Para 2017, o plano é instalar 50 oleões avançados e 50 tradicionais, em 2018 deverão ser 150 unidades de recolha avançadas e 150 tradicionais e os anos 2019 e 2020 já serão exclusivamente dedicados às unidades avançadas, com a instalação de 200, por ano.

“Hoje a Prio é a empresa que, a nível nacional, maior quantidade de biodiesel exporta e também aquela que transforma em biocombustível a maior quantidade resíduos, dando um importante contributo ao desenvolvimento nacional da economia ‘circular’, uma evolução da atual economia ‘linear’, no sentido de uma maior reciclagem. Caso o enquadramento regulamentar nacional continue a incentivar a utilização de óleos alimentares usados na produção de biodiesel de acordo com as diretrizes Europeias, esperamos, com este investimento, ser líderes na recolha de óleos alimentares usados no mercado português”, explica Nuno Correia, Administrador da Prio com o pelouro dos Biocombustíveis e Sustentabilidade.