Produção

Nestlé apoia famílias com nova política de licença parental

Nestlé Portugal já criou mais de 1600 oportunidades de emprego jovem desde 2014

A Nestlé anunciou hoje, 4 de dezembro, o lançamento de uma política global de licença parental, mais inclusiva e melhorada. A nova política de género neutro será aplicada a todos os colaboradores em todo o mundo. Na Nestlé Portugal, as medidas agora anunciadas pelo Grupo já se encontram em vigor.

Assim, a licença parental para cuidadores primários (pais) será estendida das 14 semanas, anteriormente praticadas, para as 18 semanas de licença integralmente pagas. A política estabelece um mínimo de quatro semanas para cuidadores secundários, para os quais não havia um mínimo global anteriormente fixado.

“Cada família é única, por isso desenvolvemos uma política de apoio aos pais que é flexível o suficiente para funcionar para todos nós. Apoiar o desenvolvimento saudável dos bebés tem sido um valor essencial da nossa companhia desde a sua fundação. A nossa nova política de apoio aos pais é uma parte importante dos nossos esforços para proporcionar às crianças o melhor começo de vida, permitindo que os pais passem mais tempo com seu novo filho”, refere o CEO da Nestlé, Mark Schneider.

A política estabelece novos padrões mínimos, mas não estabelece limites. Isso significa que, em alguns locais, a Nestlé pode optar por oferecer mais férias do que as 18 semanas para os cuidadores primários e as quatro semanas para os cuidadores secundários (tios e avós). A companhia fornecerá sempre uma licença parental mais longa, se as leis locais o exigirem.

Além das novas medidas, a política de apoio aos pais reforça a proteção do emprego, a não discriminação, a proteção da saúde, a disponibilidade de opções flexíveis de trabalho, bem como o apoio à amamentação.

A Diretora de Recursos Humanos da Nestlé, SA, Béatrice Guillaume-Grabisch, disse: “Queremos tornar a Nestlé um local de trabalho ainda mais inclusivo e inspirador. Esta é uma política que beneficiará cada um dos nossos colaboradores no momento em que recebem um novo filho na sua família, independentemente do local do planeta onde se encontrem.”

A nova política será implementada em 2020, com o lançamento global concluído até o final de 2022.