Produção

Nespresso recupera produções de café ameaçadas

Nespresso recupera produções de café ameaçadas

A Nespresso trouxe de volta, através do programa ‘Reviving Origins’, os cafés de duas regiões em conflito que viram as suas produções ameaçadas. Em causa estão o Zimbabué Oriental e Caquetá, na Colômbia, que depois deste apoio do programa da Nespresso poderão ser ‘provadas’ em duas edições limitadas – Tamuka um Zimbabwe e Esperanza de Colombia.

De acordo com a empresa, o programa ‘Reviving Origins’, lançado este ano, representará um investimento de cerca de 9 milhões de euros (10 milhões de francos suíços), ao longo dos próximos cinco anos e colabora diretamente com os agricultores para que recebam os meios necessários para a revitalização da indústria do café em regiões afetadas por conflitos armados, dificuldades económicas ou desastres ambientais.”

“Através do Programa Nespresso AAA para a Qualidade SustentávelTM, a Nespresso está a ajudar estes agricultores a criarem condições para que recomecem a produzir o seu café como fonte de rendimento e subsistência. O ‘Reviving Origins’ integra o programa global de sustentabilidade The Positive Cup, com um investimento de 449 milhões de euros (500 milhões de francos suíços) a serem aplicados entre 2014-2020”, diz ainda a Nespresso.

“As regiões Zimbabué Oriental e de Caquetá, na Colômbia produzem cafés com características únicas, praticamente desconhecidos e que têm desaparecido nas últimas décadas. Com o investimento da Nespresso e o compromisso dos seus parceiros, os produtores de café destas duas regiões estão a começar a reconstruir meios de subsistência sustentáveis, restaurando as suas economias locais e levando o desenvolvimento, tão necessário às suas comunidades”, revela ainda a marca.

As duas novas edições limitadas da Nespresso já estão disponíveis nos habituais canais de distribuição.