Quantcast
Produção

Ferrero compra negócio de chocolates da Nestlé nos EUA por 2,28 mil M€

Ferrero compra negócio de chocolates da Nestlé nos EUA por 2,28 mil M€

A Ferrero anunciou a aquisição do negócio de chocolates da Nestlé nos Estados Unidos da América por cerca de 2,28 mil milhões de euros. A operação torna a Ferrero na terceira maior empresa de confeitaria a nível mundial.

De acordo com a Reuters, este negócio representa “a primeira grande venda do CEO Mark Schneider e um pequeno passo rumo à comercialização de produtos mais saudáveis”. Com esta aquisição, a Ferrero passa a deter 20 marcas de chocolate, como a Butterfinger, e terá o direito exclusivo da marca Crunch.

A alienação deverá estar finalizada ainda no primeiro trimestre deste ano, depois das aprovações das autoridades responsáveis e das negociações das condições de venda, e incluirá também as fábricas da Nestlé nos EUA, localizadas em Bloomington, Franklin Park e Itasca, no estado do Illinois, e os colaboradores. Para além disso, a empresa continuará a operar através dos seus escritórios em Glendale, na Califórnia.

Giovanni Ferrero, presidente executivo de Grupo Ferrero, sublinha que “estamos muito entusiasmados com a aquisição do negócio norte americano de chocolates da Nestlé, que conta com um portefólio de marca icónicas com um historial único e um enorme conhecimento. Juntamente com as marcas atuais da Ferrero nos EUA, onde estão incluídas as recentemente adquiridas Fannie May Confections Brands e Ferrara Candy Company, ganhamos escala, com uma oferta mais ampla de produtos de alta qualidade para os clientes, através de snacks de chocolate, doces e categorias sazonais, para além de novas e emocionantes oportunidades de crescimento no maior mercado de doces do mundo. Estamos ansiosos por dar as boas vindas na Ferrero à talentosa equipa da Nestlé e continuar a investir, desenvolvendo todos os nossos produtos e marcas neste mercado estratégico e atrativo”.

Em comunicado, a Nestlé refere que em 2016, as vendas do seu negócio de chocolates nos Estados Unidos da América atingiram os 900 milhões de dólares. Com a venda desta área, a empresa passará a estar focada nos restantes segmentos que ainda possui nos EUA, como “nutrição, saúde e bem-estar”.

Os Estados Unidos da América detêm 19% do mercado global de chocolates, que está avaliado em cerca de 83,5 mil milhões de euros só no retalho.