Sustentabilidade

Chefs são “agentes de mudança” na luta contra o desperdício e na promoção da sustentabilidade

Chefs são “agentes de mudança” na luta contra o desperdício e na promoção da sustentabilidade

Os chefs “são agentes de mudança no combate contra a fome e malnutrição, e desempenham um papel importante ao inspirar as pessoas em todo o mundo a apoiarem uma produção alimentar sustentável, a adotar dieta saudáveis e a evitar o desperdício alimentar”. Esta foi a principal conclusão de um simpósio internacional organizado pela FAO, pela UNESCO e pelo Governo francês durante o salão ‘Goût de France’.

José Graziano da Silva, Diretor-Geral da FAO, disse durante a iniciativa que “temos que educar e inspirar as pessoas a adotar dietas saudáveis. A Gastronomia é cada vez mais uma área de grande interesse e os chefs estão entre os atores que podem moldar a opinião do público e influenciar os consumidores”.

“A comida é desde o princípio dos temas uma dimensão essencial das interações humanas, uma atividade económica muito importante e a fundação da organização social. Este legado é passado de geração para geração e é partilhado entre comunidades”, defendeu ainda Audrey Azoulay, Diretor-Geral da UNESCO.

As organizações aproveitaram ainda o evento para apresentar o documento ‘Chefs as agents of change’, que apresenta algumas organizações e chefs que têm usados as suas vozes para impulsionar uma agricultura mais sustentável e para combater o desperdício alimentar, nomeadamente Massimo Bottura, através da Food for Soul.

Nos últimos anos, tem-se multiplicado o número de chefs que têm procurado promover a gastronomia como elo de ligação à produção e culturas locais, assim como o aumento do consumo de produtos locais. Para além disso, esta comunidade tem procurado envolver-se em movimentos como a luta contra o desperdício alimentar, nomeadamente através da consciencialização das suas comunidades.