Tecnologia

Mercado de eletrónica de consumo em “alta” definição

Mercado de eletrónica de consumo em “alta” definição

O mercado português de eletrónica de consumo voltou a crescer em 2018, terminando o ano com uma tendência positiva de 3%, cerca de 372 milhões de euros.

Por trás deste crescimento estão as categorias ligadas à imagem, mas em particular a televisão, produto com maior peso na eletrónica de consumo. A televisão movimentou um total de 289 milhões de euros e cresceu cerca de 8%, muito acima da média de crescimento registada na Europa Ocidental, que se fixou em 2%.

Nos alicerces deste crescimento em 2018, essencialmente três fatores:

  • Campeonato Mundial de Futebol; tipicamente o mercado de eletrónica de consumo reage positivamente aos grandes eventos desportivos, seja por força das campanhas promocionais alusivas aos eventos, seja pelo desejo do consumidor em assistir aos jogos da seleção na melhor qualidade possível. Estima-se que o campeonato mundial de Futebol tenha tido um impacto positivo em cerca de 17 milhões de euros.
  • Promoções Black Friday; O consumidor está mais desperto para as campanhas promocionais. No caso particular da televisão, não sendo este um típico produto em quem a compra é feita por de impulso, mas sim através de uma decisão mais ponderada, onde o consumidor pesquisa e investiga aguardando depois por uma campanha vantajosa, este fenómeno promocional tem cada vez mais importância. As vendas de televisão na semana de Black Friday cresceram mais de 17% comparativamente com 2017 tendo sido esta, destacadamente, a semana mais forte do ano nas vendas destes equipamentos.
  • Crescimento das gamas premium; Características como o smart, ecrãs de maior dimensão, novas tecnologias utilizadas na construção de painéis, e resoluções como o Ultra HD/4K tem vindo a aumentar a sua importância crescente no mercado. Existe uma exigência muito grande pela qualidade de imagem, o que tem feito do Ultra HD um driver de negócio que começa a afirmar-se como sendo a característica standard, uma vez que é já responsável por 61% do valor, tendo crescido 37% face ao período homólogo.

Com o desenvolvimento do 4K e a melhoria na construção dos painéis, o aumento da dimensão de ecrã motiva o consumidor à substituição do seu televisor. Os tamanhos dos ecrãs têm vindo a aumentar de ano para ano. Se há poucos anos atrás, a dimensão mais relevante e standard de mercado, fixava-se nas 32 polegadas, hoje em dia, são os ecrãs de maior dimensão, iguais ou superiores a 55 polegadas, os que mais importância ganham no mercado português, enquanto tamanhos de 32 polegadas e abaixo desta, são os que mais importância perdem.

O tamanho com mais expressão em Portugal no ano 2018 foi o de 55 polegadas assumindo-se assim como um “novo standard”.

Televisores de 55 polegadas com resolução Ultra HD, registaram um preço médio de 787€, o que comparativamente com o preço médio do mercado português traduziu-se num índice de preço de 225%, mostrando que o consumidor está ávido por televisores de qualidade superior e maiores dimensões.

A Internet das Coisas (IoT), interação com voz e novos níveis de definição de imagem como o 8K, apresentaram crescimentos elevados em 2018 com principal enfoque na segunda metade do ano, e de certo potenciarão mais o negócio, elevando o grau de exigência do consumidor a um patamar superior, mas ao mesmo tempo, contribuindo para o continuo crescimento do tamanho dos ecrãs definindo novos standards de futuro.