Turismo

TAP quer trazer mais 150 mil turistas ao país em 2017

A TAP lançou esta semana o programa ‘Portugal Stopover’, uma iniciativa que pretende incentivar os passageiros de longo curso que viajam com a companhia nacional, em trânsito por Lisboa ou Porto, a aproveitarem a passagem para conhecer o país. Com esta iniciativa, a companhia aérea pretende atingir 300 mil turistas por ano, num impacto para a economia nacional estimado em cerca de 150 milhões de euros nos próximos três anos.

Este programa destina-se, segundo a companhia, sobretudo aos turistas que reservam viagens com origem nos Estados Unidos da América ou no Brasil e cujo destino final seja a Europa ou África, com escala em Lisboa ou no Porto. Assim, “ os passageiros TAP são convidados a usufruir de dois destinos pelo preço de um, podendo ficar entre um a três dias numa estada em Portugal. De igual modo, os passageiros com origem noutros destinos da rede TAP (Europa ou África) e em trânsito para os Estados Unidos ou Brasil, podem beneficiar do programa Stopover em Lisboa ou Porto”, explica a TAP.

Para este projeto, a TAP associou-se a uma rede de 150 parceiros que deverão oferecer aos clientes Stopover preços exclusivos em hotéis, oferta de uma garrafa de vinho em restaurantes e experiências gratuitas, nomeadamente passeios de tuk tuk, visita a museus, observação de golfinhos no Sado e degustações.

“Com este programa queremos trazer mais 150 mil turistas a Portugal em 2017 e mais 300 mil em 2018, reforçando o nosso contributo para a promoção de Portugal como destino turístico de excelência e sublinhando o importante valor da TAP para a economia nacional, para a criação de riqueza e para a geração de emprego”, afirma Fernando Pinto, presidente da TAP.

Para dar a conhecer este novo produto, a TAP tem agora disponível a opção de reserva do Stopover acessível no módulo de pesquisa de voos do site flytap.com e criou uma aplicação através da qual os passageiros receberão um cartão identificativo virtual com o qual se podem apresentar junto dos parceiros para terem acesso às condições exclusivas.