Quantcast
Opinião

O jornal interno caiu em desuso?

comunicação interna

Somos todos leitores de jornais e queremos estar informados sobre o que de novo se passa no mundo. Por isso mesmo se impõe a pergunta: então, porque é que ainda não tem um jornal interno na sua empresa, permitindo que os colaboradores acompanhem o que se passa no mercado e na ‘casa’ que os acolhe, pelo menos, oito horas em cada dia?

O jornal interno é uma ferramenta tradicional de comunicação que, ao contrário do que se poderia imaginar, não perdeu peso ou importância com o desenvolvimento das plataformas digitais. Este é um canal que continua a ser um dos maiores veículos de comunicação interna e que, ao mesmo tempo, é um impulsionador de conhecimento e de motivação das equipas internas.

No entanto, um jornal interno não é necessariamente uma réplica dos jornais de banca. Ainda que o grafismo possa ser semelhante, a organização, a estruturação e as mensagens são (e têm de ser) distintas.

O jornal interno é um projeto de todos

Ao contrário do que acontece com os jornais que encontramos em qualquer papelaria, o jornal interno não deve ser uma obra acabada que chega às mãos dos leitores sem que eles tenham um papel ativo na sua elaboração. Esta ferramenta, sendo orientada para o público interno, tem obrigatoriamente de o envolver – responsabilizando cada departamento pelo fornecimento de informações que podem ser transformadas em notícias, englobando passatempos, publicando entrevistas a colaboradores que tenham um interesse noticioso específico e noticiando, em primeira mão, tudo aquilo que se vai passando no seio da empresa.

Parece uma tarefa simples, certo? A má notícia é que não é. O desenvolvimento de um jornal interno é uma tarefa complexa, árdua e demorada – obrigando a que muitas empresas tenham um ou mais colaboradores totalmente alocados a este projeto. É essencial que o responsável por esta ferramenta não a desenvolva ao ‘sabor do vento’, tendo formação na área e dominando as técnicas, as regras e as caraterísticas de um jornal interno.

Motivar, motivar e motivar

A verdade é que, num mercado em que a competitividade e a rotatividade de pessoal se fazem sentir, a motivação das equipas é (ou deve ser…) uma preocupação crescente de todas as chefias. Desenvolvem-se ações de team building, realizam-se avaliações 360 e investe-se na formação técnica das pessoas como forma de as motivar – mas esquece-se muitas vezes do mais importante: a informação célere, clara e transparente que apenas se consegue garantir com algumas ferramentas comunicacionais, como o jornal interno.

São diversos os estudos que comprovam que um dos fatores que mais contribui para a motivação dos colaboradores é precisamente a clareza da informação e da comunicação. Empresas que, por exemplo, comunicam primeiro com os media do que com as equipas são empresas que descuram este princípio. Imagine o que seria ter conhecimento da mudança do corpo de administração da sua empresa através de uma reportagem transmitida no jornal da noite. Ridículo? Infelizmente esta situação é mais frequente do que aquilo que podemos imaginar.

Por isso, o jornal interno é mais que uma mera ferramenta de transmissão de novidades. Este é, de facto, um dos mais importantes canais de comunicação, de formação e de motivação das pessoas que fazem o seu negócio: os seus colaboradores.

Por isso, se insiste em transmitir às suas equipas a necessidade de que vistam a ‘camisola’ do negócio, não se esqueça de dar o melhor exemplo: formando pessoas que possam assegurar uma comunicação atempada, objetiva e transparente sobre a ‘casa’ que alberga todos aqueles que fazem, de facto, a sua marca. E o jornal interno pode ser precisamente o ‘pequeno grande’ passo para fazer toda esta diferença.

Artigo publicado em parceria com o blog RH Bizz.