Consumo

83% dos portugueses ainda têm receio de comunicar dados online

Consumidores portugueses ainda têm receio de comunicar dados online

Os consumidores portugueses ainda demonstram alguma resistência à compra de produtos online, com 83% a revelar que tem receio de comunicar os seus dados pessoais por esta via. A conclusão consta de um estudo do Observador Cetelem e revela, no entanto, que os portugueses confiam mais na Internet e redes sociais do que a média dos países europeus.

“No caso da partilha ou comunicação dos seus dados pessoais a certas marcas ou sites de compras online, os inquiridos nacionais são mesmo os mais desconfiados, com 83% de respostas nesse sentido. Por outro lado, os resultados apontam para uma maior confiança na Internet ou nas redes sociais, face à média dos países que integram o estudo”, refere o Observador Cetelem.

O estudo diz também que “tanto os dinamarqueses como os húngaros demonstram ser os mais tranquilos com a partilha de informação pessoal na Internet, pois apenas 49% dos inquiridos se mostram desconfiados com esta matéria”.

Para além disso, ficamos a saber que “quando pretendem efetuar compras na Internet, os inquiridos nacionais estão entre aqueles que menos confiam na descrição dos produtos, 70%, 4% abaixo da média global. Quanto aos prazos de entrega, os portugueses revelam, igualmente, algumas dúvidas, pois apenas 68% asseguram confiar, menos 6% que o valor médio.” O serviço pós-venda, por sua vez, é a área que mais dúvidas gera junto dos portugueses (60%), à semelhança da média dos restantes europeus.

Importa ainda referir que no que diz respeito às práticas colaborativas online, os portugueses são dos que têm menores hábitos de consumo colaborativo na internet. É o caso da compra ou venda a particulares de objetos, livros ou vestuário usado, que em Portugal não ultrapassa os 39%, contra os 44% de média europeia.