Retalho

Vendas no retalho europeu crescem em maio face a mês anterior

vendas_retalho_maio_2020

As vendas no setor do retalho europeu registaram um crescimento a duplo dígito, indicam os últimos dados do Eurostat.

Na verdade, depois do “trambolhão” do mês de abril, o setor do retalho na zona euro registou, em maio, uma evolução de 17,8% face ao mês anterior, com os números a mostrarem uma subida de 16,4% para a União Europeia (UE), salientando os responsáveis pelos dados que esta situação se deve, naturalmente, “ao desconfinamento registado em diversos Estados-Membros.

Recorde-se que em abril de 2020, as vendas no setor do retalho tinham caído 12,1% na zone euro e 11,4% na UE.

Na zona euro e na comparação mensal, a maior subida foi registada nos combustíveis (+38,4%), seguidos pelos produtos não alimentares (+34,5%) e, finalmente, pelos produtos alimentares e bebidas (+2,2%). Já na UE, nos combustíveis a subida foi de 31,9%, enquanto produtos não alimentares e produtos alimentares e bebidas aumentavam as vendas em 30,2% e 2,1%, respetivamente.

Destaque para o facto de, em maio de 2020, as vendas no retalho têxtil, fashion e calçado terem crescido 147% face ao mês anterior na zona euro e 130,7% na UE.

Na comparação mensal (maio 2020 vs abril 2020), Portugal aparece a meio da tabela, com um crescimento de 13,1%. De referir que nos meses anteriores, as vendas no setor do retalho, em Portugal, tinham registado quebras de 17,4% (abril 2020 vs março 2020) e de 12,6% (março 2020 vs fevereiro 2020).

De resto, todos os Estados-Membros registaram subidas nas vendas no setor do retalho, com destaque para o Luxemburgo (+28,6%), França (+25,6%) e Áustria (+23,3%).

Já na análise anual, o Eurostat mostra que as vendas no setor do retalho na zona euro registaram uma quebra de 5,1% face ao mesmo mês de 2019, enquanto na UE essa quebra foi de 4,2%.

Na zona euro, o comportamento das vendas no retalho, comparando maio de 2020 com maio de 2019), foram de quebra nos combustíveis (-27,4%) e produtos não alimentares (-9%), enquanto os produtos alimentares e bebidas subiam 4,9%.

Já na UE, os números do Eurostat mostram uma descida de 24,3% nos combustíveis e de 6,9% nos produtos não alimentares. Os produtos alimentares e bebidas são, novamente, os únicos a subirem (4,1%) na comparação dos meses de maio 2020 e maio 2019.

Nesta comparação anual, Portugal suaviza um pouco a quebra que vinha sendo registada no mês anterior. De facto, depois de ter caído 21,5% em abril de 2020 face a mês homólogo de 2019, no mês de maio de 2020 essa quebra foi de 12,7% face a igual mês do ano anterior.

Já no mês de março 2020, o setor do retalho tinha caído 5,2% face ao mesmo mês de 2019.

Neste particular, destaque para as descidas de Bulgária (-20,4%), Luxemburgo (-19,7%) e Espanha (-17,9%). Mas houve, também que tenha registado subidas quando todos os restantes Estados-Membros apresentavam números negativos. Alemanha (+7,2%), Dinamarca (+6,6%) e Áustria (+4,8%) são evidência disso mesmo.