- Distribuição Hoje - https://www.distribuicaohoje.com -

Vendas no retalho europeu com quebras superiores a 11% em abril

retalho

As vendas no retalho europeu registaram quebras que há muito não registava. De acordo com o Eurostat as vendas a retalho foram impactadas pelas diversas medidas tomadas pelos diferentes governos e que levaram ao encerramento de muitas lojas.

Assim, na zona euro, a quebra, em abril, foi de 11,7% face ao mês de março de 2020, enquanto na União Europeia esse decréscimo cifrou-se nos 11,1% face ao mês anterior.

Esta é a segunda descida consecutiva nas vendas no retalho europeu, depois do Eurostat indicar que no mês de março, face ao mês anterior de fevereiro, as quebras totalizaram 11,1% para a zona euro e 10,1% para a União Europeia. [1]

Nesta comparação mensal (abril 2020 vs março 2020) na zona euro, os combustíveis foram os que mais sofreram, com uma quebra de 27,7%, seguidos pela queda em 17% dos produtos não alimentares e dos menos 5,5% para os produtos alimentares e bebidas.

Já na UE, e tendo por base a mesma comparação mensal, o decréscimo para os combustíveis foi de 25%, enquanto os produtos não alimentares desceram 14,7% e os seus congéneres alimentares e bebidas decreceram 5,9%.

Os dados do Eurostat mostram, também, que se registou um incremento de 10,9% na zona euro e de 11,9% na UE no que toca às compras via correio ou Internet.

Entre os países que maiores quebras registaram estão Malta (-25,1%) Roménia (-22,3%) e Irlanda (-21,9%). A quebra atribuída pelo Eurostat às vendas no retalho português é de 17,5%.

Os únicos países com performances não negativas foram a Finlândia (+0,3%) e a Suécia que se manteve estável.

Na comparação anual (abril 2020 vs abril 2019), o Eurostat atribui uma quebra às vendas a retalho de 19,6% à zona euro e de 18% à UE.

O setor mais penalizado na zone euros foi o dos combustíveis com uma quebra de 46,9% face a abril de 2019, enquanto os produtos não alimentares decresceram 33,6%. Já os produtos alimentares registaram uma descida menos abrupta (-2,5%).

Na União Europeia, a descida anual dos combustíveis foi de 42,6% face ao quarto mês de 2019, enquanto as vendas de produtos não alimentares caíram29,7%. Em contraciclo com todos os outros setores, as vendas de produtos alimentares aumentaram em 1,4% face ao mês de abril de 2019

Certa foi a descida nas vendas a retalho em todos os Estados-Membros da União Europeia, com o ranking a ser liderado pela França (-31,1%), seguida da Espanha (-29,8%), Malta (-24,8%) e Luxemburgo (-24,7%).

Na comparação anual das vendas a retalho (abril 2020 vs abril 2019), Portugal aparece com um registo de descida 22% [2], depois de, em março 2020 já ter indicado uma quebra de 5,2% face ao mês homólogo de 2019.