Quantcast
'Social-commerce'

Um terço dos portugueses já fazem compras nas redes sociais

social_media

Um terço dos portugueses (33,2%) admite ter já por hábito comprar produtos diretamente numa rede social.

Este valor confirma a tendência de crescimento nestes comportamentos de compra online e que representa um acréscimo de 3,3 pontos percentuais (p.p.) face aos valores registados em 2019, indicam as conclusões da edição de 2020 do estudo “Os Portugueses e as Redes Sociais”, produzido pela Marktest.

Entre os participantes no estudo, a grande maioria dos que fizeram compras em redes sociais assume tê-las feito no Facebook (72,6%).

Já quanto ao que os portugueses compram nos social media, roupa (34%), calçado (13,4%) e artigos para o lar (9,7%) são os produtos mais referidos como tendo sido comprados diretamente nas redes sociais. E a satisfação com a experiência de compra nestas plataformas está em alta: 76,1% dos inquiridos que já compraram em redes sociais mostram-se satisfeitos com a sua última experiência de compra, constituindo este o valor mais alto desde 2013.

Entre os inquiridos que ainda não realizaram compras nas redes sociais, a maior parte justifica essa opção por preferir comprar em lojas ou noutro tipo de sites (22,6%). Um volume semelhante (21,3%) de inquiridos assume, porém, que não compra produtos através das redes sociais por desconfiança/falta de confiança.

Neste estudo, a Marktest abordou, igualmente, o tema da publicidade nas redes sociais. Nesta particular, a consultora concluiu que 70,4% dos utilizadores destas plataformas dizem recordar-se de ter visto publicidade enquanto navegam. Entre as marcas concretas referidas de forma espontânea, o Continente foi a marca mais citada pelos que dizem recordar-se de ver publicidade em redes sociais, seguindo-se Vodafone, Nike, Worten e Adidas.