Retalho

Quota de MdD em Portugal acima da média europeia

aped_retalho

A quota de mercado das Marcas da Distribuição (MdD), na maioria dos mercados europeus, está acima dos 30%, segundo a mais recente análise do International Private Label Yearbook da PLMA, aparecendo Portugal destacado com uma quota de 43%.

O anuário, que compila dos dados da Nielsen no final de 2019, revela que a MdD ganhou quota em 14 dos 19 mercados europeus analisados no Reino Unido e na Alemanha, as marcas próprias dos retalhistas mantêm as respetivas quotas acima dos 40%, enquanto no mercado italiano, as MdD ganharam 2 pontos percentuais (p.p.), indicando a PLMA que este é o maior aumento desde há muito.

Os maiores aumentos foram, contudo, registados na Holanda, com um crescimento de 7 p.p. para 37%, impulsionado pela inclusão, pela primeira vez, dos dados do Aldi.

Em França, onde o Aldi e o Lidl não estão incluídos nos dados da Nielsen, a MdD mantém a quota de 31%, em volume, e 25%, em valor.

Espanha e Portugal, apelidados de “grandes mercados para as marcas próprias dos distribuidores” mantém, igualmente, as quotas, embora com valores diferentes. Enquanto em Espanha a MdD representa 31%, Portugal aparece destacado com uns 43%.

Na Europa Central e de Leste, a penetração das MdD está acima dos 40% na Áustria e superior a 30% na Polónia, Hungria, República Checa e Eslováquia, enquanto na Suíça a MdD representa metade dos produtos de FMCG vendidos no país.

A Noruega lidera na Escandinávia com a quota da MdD a aumentar 2 p.p. para 34%. Já a Suécia cresceu para os 33% e a Finlândia para mais de 30%.

Finalmente, a Grécia apresenta, pela primeira vez, uma quota acima dos 31% para as MdD vendidas no país, enquanto a Turquia cresceu 2 p.p. para acima dos 30%.