Quantcast
Produção

Quatro cenários para o futuro dos laticínios

Laticínios

O futuro do setor dos laticínios poderá ser resumido em quatro possíveis cenários: “Dairy Evolution”, “Green Dairy”, “New Fusion” e “Brave New Food”.

Esta foi a conclusão a que chegou um recente estudo conjunto da Tetra Pak e da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade de Lund (LUSEM) para o futuro do setor dos laticínios que analisa seis dos principais mercados globais para examinar as incertezas críticas de forças socioambientais e de transições tecnológicas que poderão alterar o panorama da indústria láctea nos próximos dez anos.

O estudo, intitulado “Global trends affecting dairy strategies” (Tendências globais que impactam as estratégias para os laticínios), é o resultado de um projeto de investigação realizado ao longo de 18 meses que visou analisar a mudança de paradigma do setor dos laticínios e prever a situação deste universo em 2030. Através de uma análise a seis dos principais mercados globais – Reino Unido, EUA, China, Índia, Nigéria e Brasil -, o estudo apresenta os quatro cenários – “Dairy Evolution”, “Green Dairy”, “New Fusion” e “Brave New Food” – demonstrando cada um a interação variável de forças socioeconómicas e da transformação tecnológica e cujos resultados são muito diferentes entre si.

Evolução_LaticiniosO primeiro cenário, “Dairy Evolution” (Evolução dos Laticínios), é o cenário que se carateriza por “não apresentar grandes surpresas, com o setor dos laticínios a dar continuidade às atuais tendências com disrupções mais pequenas”. “Green Dairy” (Laticínios Ecológicos), é marcado por “fortes variáveis socioambientais, como as exigências dos consumidores e as restrições políticas, mas com pouca transição tecnológica, o que leva o setor dos laticínios a investir fortemente na redução da pegada de carbono”. “New Fusion” (Nova Fusão), “dominado por tecnologias e processos inovadores, mas com pouca intervenção socioambiental, poderá ter um impacto significativo no setor”. O último cenário, “Brave New Food” (Novos Alimentos), é o cenário que “combina fortes variáveis socioambientais e tecnologias altamente inovadoras que, em conjunto, poderão conduzir a uma completa transformação”.

Os quatro cenários apresentam um conjunto de fatores que poderão alterar o contexto empresarial. Antecipando-se a esta transformação, a Tetra Pak já começou a colaborar com startups e com o meio académico para “acelerar a compreensão do comportamento de diferentes proteínas perante diferentes condições de processamento”. Desta forma, a empresa irá criar soluções que vão permitir que a indústria tire partido das mudanças que se avizinham para o setor do leite de vaca tradicional, as bebidas de origem vegetal e as alternativas lácteas desenvolvidas em laboratório.

Frederik Wellendorph, vice-presidente da Unidade de Negócio de Alimentos Líquidos da Tetra Pak, afirma que “a indústria alimentar e de bebidas irá sofrer uma enorme transformação durante a próxima década, e o setor dos laticínios sentirá esta transformação de forma acentuada. Claramente, o futuro reserva-nos vários desafios – mas existem também muitas oportunidades para os produtores. A chave para o sucesso no novo paradigma estará em abraçar a flexibilidade e responder proativamente a esta vaga de mudanças disruptivas”.

Já do lado académico, Christian Koch, da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade de Lund, refere que “o setor global dos laticínios encontra-se no centro da transformação do setor alimentar, e os contornos desta transformação já começaram a ganhar forma”. O professor da faculdade sueca alerta para o facto dos cenários serem “tão distintos entre si quanto possível, dentro dos limites da plausibilidade e credibilidade”, concluindo que “todos deverão ser considerados como futuras realidades possíveis.”