Quantcast
Economia

PIB cai 5,7% no 3.º trimestre face a 2019

economia_pib

No 3.º trimestre de 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) em termos reais registou uma redução homóloga de 5,7%, após a forte contração de 16,4% no trimestre anterior, avançam os mais recentes dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A redução menos intensa do PIB deveu-se sobretudo ao comportamento da procura interna que registou um contributo de -4,1 pontos percentuais (p.p.) para a variação homóloga do PIB, significativamente menos negativo que o verificado no trimestre anterior (-11,8 p.p.). No mesmo sentido, o contributo negativo (-1,5 p.p.) da procura externa líquida foi menos acentuado no 3.º trimestre que o registado no trimestre precedente (-4,6 p.p.), verificando-se uma recuperação mais significativa das Exportações de Bens e Serviços que a observada nas Importações de Bens e Serviços, devido em grande medida à evolução das exportações de bens, uma vez que as de serviços mantiveram reduções expressivas.

Comparativamente com o 2.º trimestre de 2020, o PIB aumentou 13,3% em termos reais, depois da forte contração observada no trimestre anterior (variação em cadeia de -13,9%). Este resultado é também explicado, em larga medida, pelo comportamento da procura interna, que apresentou um expressivo contributo positivo (10,6 p.p.) para a variação em cadeia do PIB, após o contributo fortemente negativo no 2.º trimestre (-10,9 p.p.). O contributo da procura externa líquida também foi positivo (2,7 p.p.), depois de ter sido muito negativo (-3 p.p.) no trimestre precedente, verificando-se um crescimento acentuado das Exportações de Bens e Serviços.

Esta estimativa rápida incorpora nova informação primária, nomeadamente no que se refere ao comércio internacional de bens e serviços e, em menor grau, aos indicadores de curto prazo relativos a setembro, que implicaram uma revisão em alta de 0,1 p.p. nas taxas de variação homóloga e em cadeia do PIB em volume do 3º trimestre de 2020, comparativamente com os dados publicados no dia 30 de Outubro na primeira Estimativa Rápida.