Retalho

Mercadona reforça medidas de segurança por causa do COVID-19

Mercadona

A Mercadona reforça, a partir de hoje (23 de março), as medidas de segurança dentro das lojas que, para uma melhor identificação, estão marcadas a verde.

Assim, será controlada a capacidade dos supermercados e sinalizada a distância mínima exigida entre pessoas, ficando a responsabilidade de ordenar a capacidade interior da loja do lado do encarregado do estabelecimento, ou da pessoa ou agente de segurança privada designado por este.

Tal como estabelecido na Portaria nº 71/2020, a capacidade máxima permitida será regulada cumprindo com o determinado 0,04 clientes por metro quadrado de área (o que equivale a 80 clientes numa sala de vendas de 2.000 metros quadrados).

Na via de acesso público a cada supermercado, estará marcada uma distância mínima de 2 metros entre as pessoas que aguardam a sua vez de entrar à porta dos supermercados, e deverá ser respeitada para aceder aos mesmos.

No interior das lojas, a distância mínima de 2 metros entre clientes é controlada com recomendações do pessoal do estabelecimento, com o apoio de cartazes que reforçam estas medidas, e estarão também marcados os limites de 2 metros no chão da secção da Peixaria e na linha de caixas.

Além disso, a Mercadona recomenda que apenas uma pessoa deve realizar as compras (nem em família, com crianças ou em grupos); as compras não devem ser realizadas por pessoas que façam parte dos possíveis grupos de risco (idosos, crianças, pessoas com doenças crónicas); identifica as pessoas com prioridade para realizar as suas compras nas nossas lojas (idosos com mais de 70 anos, pessoas com deficiência, com mobilidade reduzida, grávidas e acompanhantes necessários, assim como de profissionais de saúde, elementos das forças e serviços de segurança, proteção e socorro, forças armadas e prestação de serviços de apoio social); sugere aos clientes comprarem ao longo do dia e não à hora de abertura do estabelecimento.

Quanto ao abastecimento e sortido, o retalhista que abriu a primeira loja no nosso país a 2 de julho do ano passado, informa que “as lojas permanecerão abastecidas, reforçando e garantindo o abastecimento de produtos básicos e de primeira necessidade, para que os clientes possam fazer as suas compras diárias” Para além disso, com o objetivo de proteger a segurança alimentar, “não se admitirão, em qualquer circunstância, devoluções de produtos”.

A Mercadona adotou também medidas internas para reforçar a saúde e a segurança dos seus colaboradores, entre as quais se encontra a entrega por parte da empresa dos equipamentos de higiene e prevenção necessários, e a adoção de critérios específicos relativamente à saúde.