Quantcast
Sustentabilidade

Ikea remove pilhas alcalinas não recarregáveis até outubro de 2021

A IKEA anunciou que pretende eliminar todas as pilhas alcalinas não recarregáveis da gama global de mobiliário doméstico até outubro de 2021.

Em média, segundo a Sociedade Gestora de Resíduos de Pilhas e Acumuladores, cada pilha demora entre 500 a mil anos a decompor-se se não for encaminhada para reciclagem. Com esta mudança, a IKEA pretende incentivar os consumidores que usam pilhas frequentemente a trocá-las por uma opção recarregável.

“A decisão de eliminar as pilhas alcalinas da gama da IKEA está em linha com a nossa missão de contribuir para um melhor futuro do planeta. Sabemos que há muitas pessoas que utilizam pilhas em vários aparelhos domésticos e todos podemos beneficiar se a utilização de pilhas recarregáveis for a nova realidade. Esperamos que, com as nossas soluções, a maioria das pessoas se sinta inspirada em adotar novos comportamentos, prolongando a vida dos produtos e reduzindo o desperdício”, explica Ana Barbosa, responsável de Sustentabilidade da IKEA.

No ano fiscal de 2019, a IKEA vendeu cerca de 300 milhões de pilhas alcalinas em todo o mundo. De acordo com os cálculos da marca, se todos os clientes da IKEA trocassem as pilhas alcalinas ALKALISK por pilhas recarregáveis LADDA e as utilizassem para dispositivos de alto consumo, recarregando as mesmas 50 vezes, a redução global de resíduos seria de até 5 mil toneladas por ano.