Retalho

Grupo dono da IKEA obtém receitas superiores a 39 mil milhões de euros em 2019

Grupo dono da IKEA obtém receitas superiores a 39 mil milhões de euros em 2019

O grupo Ingka, detentor da insígnia IKEA, registou receitas de 39,1 mil milhões de euros, no exercício 2019, correspondendo a uma subida de 5,3% face ao ano anterior de 2018. A operação de retalho da IKEA aumentou, por sua vez, em 5% as receitas face ao período homólogo de 2018, totalizando vendas de 36,7 mil milhões de euros.

A operação online do grupo que detém um total de 374 lojas em 30 países, aumentou em 46%, sendo, atualmente, responsável por 11% do total das vendas da IKEA.

No que diz respeito a lucros líquidos, os resultados mostram um crescimento de quase 350 milhões de euros, passando de 1,468 para 1,817 mil milhões de euros.

Em termos de visitas, a lojas IKEA receberam mais de 839 milhões de pessoas, com os centros comerciais Ingka a serem visitados por 480 milhões de pessoas.

No online, a loja digital em www.ikea.com foi visitada por 2,6 mil milhões de pessoas, indicando ainda os números disponibilizados pelo grupo que foram 22,6 milhões as pessoas que visitaram o catálogo online mais de 26 milhões a navegar pela app da IKEA Store.

De resto, o grupo informa que detém 45 centros comerciais Ingka em 15 países, 30 centros de distribuição em 18 países e mais 51 centros de distribuição ao consumidor em 16 países.

Em Portugal, onde segundo a IKEA 60% da população vive com 13.500 euros por agregado familiar por ano, “a maioria das pessoas não pode dar-se ao luxo de melhorar facilmente as suas casas”, o retalhista revela que vai investir “6 milhões de euros no próximo ano para reduzir o preço de 185 produtos, dos quais 130 estão já disponíveis nas lojas física e online”.

Já relativamente a 2018, a IKEA refere que a política de preços pratica fez com que “70% dos visitantes da loja IKEA em Portugal, disseram que foram capazes de encontrar soluções mais acessíveis do que antes da iniciativa de preço mais baixo introduzido”.

Na questão ambiental, assunto “querido” do IKEA, o grupo informa que investiu em 534 turbinas eólicas e duas quintas solares em 14 países e possui 920.000 módulos solares nos telhados das nossas lojas e armazéns. “Isto permite-nos gerar mais

energia renovável do que a energia que usamos nas nossas operações”, diz a IKEA no Relatório de Contas e Sustentabilidade do ano financeiro de 2019.

Além disso, o número de clientes da IKEA Home Solar cresceu em 29%, sendo que cada cliente economizou, em média, 400 euros por ano na fatura de energia.

A IKEA revela ainda que possui, aproximadamente, 210.000 hectares de florestas com gestão responsabilidade na Estónia, Letónia, Lituânia, Roménia e EUA.

Por fim, além de ter sido dada uma segunda vida a 47 milhões de produtos, o grupo gerou o equivalente a 93% da energia renovável utilizada nas operações face a 81% em 2018.

Os objetivos da IKEA para 2030 são, de resto, conhecidos e passam por ser 100% autossuficientes em termos de energia renovável, ao mesmo tempo que aumenta a eficiência energética, e garantir zero emissões nas entregas ao domicílio e reduzir em 50%as emissões das viagens dos funcionários e clientes.