Quantcast
Produção

Governo atento à cadeia de produção e distribuição do setor agroalimentar

cadeia de distribuição

O Ministério da Agricultura assegurou hoje (17 de março) que o abastecimento alimentar está a decorrer com normalidade, apesar do impacto do COVID-19. Esta normalidade não impede, contudo, o Governo de apelar “à consciência cívica” para que seja feito um “consumo responsável” e adequado às necessidades.

No comunicado emitido pelo Ministério da Agricultura, é deixada uma “palavra de reconhecimento e a gratidão perante o esforço desenvolvido pelo setor agroalimentar na manutenção do abastecimento de produtos seguros e de qualidade, fazendo face a este contexto tão particular, marcado pela pandemia COVID-19”.

O ministério liderado por Maria do Céu Albuquerque sublinha, no entanto, que, “graças ao trabalho de todos os profissionais ligados a este setor”, o abastecimento alimentar está a decorrer com “normalidade, não registando constrangimentos na cadeia, desde a produção à distribuição, nem ao nível dos preços praticados”.

Ainda neste âmbito, o Ministério da Agricultura está em estreita ligação com todos os intervenientes, a fim de serem detetados quaisquer constrangimentos em toda a cadeia de abastecimento, bem como na identificação do regular fluxo das matérias primas e dos fatores de produção.

Por isso, o Ministério da Agricultura apela “à consciência cívica que o momento exige”, nomeadamente no que se refere a um “consumo responsável e criterioso”, tendo em conta as necessidades de cada um e, claro está, de todos aqueles que nos rodeiam.

Estando a circular mensagens falsas relacionadas, nomeadamente, com a segurança alimentar, o Ministério da Agricultura reforça a necessidade de confirmação prévia da informação veiculada, sempre com recurso aos canais oficiais, designadamente a Direção-Geral da Saúde e a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

Neste contexto, o ministério refere como exemplo, a informação que circula sobre o risco de transmissão de COVID-19 por ingestão de vegetais crus. A este respeito, o ministério clarifica que a transmissão do novo Coronavírus “ocorre por via respiratória e conjuntival, mediante contacto entre pessoas, não sendo possível a transmissão daquele agente por via alimentar”. Este facto não dispensa, no entanto, que o consumidor mantenha as regras gerais de higiene na manipulação de géneros alimentícios.

Tendo em conta este contexto, o Ministério da Agricultura informa ainda que foi já estabelecido um pacote de medidas “com vista à mitigação dos impactos socioeconómicos no setor”, nomeadamente através do apoio à tesouraria e à manutenção dos postos de trabalho, admitindo que este pacote de medidas “poderá ser atualizado a todo o momento”, sempre com base na evolução do contexto que vivemos.