Quantcast
Tecnologia

FinTech alcançam rentabilidade pela primeira vez em quatro anos

As FinTech atingiram a rentabilidade pela primeira vez em quatro anos, revela o World FinTech Report 2021 da Capgemini e da Efma.

As FinTech atingiram a rentabilidade pela primeira vez em quatro anos, revela o World FinTech Report 2021 da Capgemini e da Efma. O setor das FinTech registou um crescimento de 11% no quarto trimestre de 2020 face a período homólogo do ano transato, após quatro anos consecutivos de resultados negativos. As transações entre as FinTech mais maduras registaram um crescimento de 9% entre 2019 e 2020.

A Capgemini e a Efma informam ainda, em comunicado, que mais de metade (51%) das FinTech inquiridas pelo estudo revelaram esperar que as suas reservas de capital venham a ser afetadas pelos custos decorrentes do recrutamento, da integração e do armazenamento de dados, que aumentaram substancialmente durante o confinamento.

O mesmo relatório enuncia que, para responder à popularidade cada vez maior das FinTech entre os consumidores e aos níveis crescentes de rentabilidade que estão a alcançar, os bancos tradicionais estão a criar filiais exclusivamente digitais destinadas a atrair segmentos específicos de mercado.

A adoção de modelos digitais durante a pandemia também permitiu que as FinTech ganhassem mais quota de mercado. O estudo revela que 25% dos consumidores que procuram serviços mais rápidos, mais personalizados, mais convenientes e mais úteis para o seu dia-a-dia em todo o mundo, estão inclinados a experimentar os produtos dos novos players do setor financeiro.[1] Porém, a maioria continua a confiar nos bancos tradicionais e 68% revelou que está pronto para experimentar uma oferta exclusivamente digital gerida pelo seu banco tradicional.

“As jornadas digitais inspiradas pelas FinTech devem tornar-se uma fonte de inspiração na definição das estratégias de todos os intervenientes no sector bancário. No entanto, os bancos têm de ser rigorosos, focados e objetivos na sua abordagem. Não há uma abordagem única, e nem todos podem criar filiais digitais da mesma forma,” refere Anirban Bose, CEO da Capgemini Financial Services e Member do Group Executive Board.

Desafios dos bancos tradicionais

Os bancos reconhecem o potencial de uma oferta digital fluída. O estudo revela que: 63% dos gestores dos bancos inquiridos afirmaram que uma filial exclusivamente digital permite oferecer serviços bancários universais; 50% referiram que as filiais digitais permitem lançar mais rapidamente no mercado os novos produtos; e 52% acham que as agências digitais facilitam a colaboração em todo o ecossistema graças à sua funcionalidade plug-and-play.

O estudo sublinha ainda que existem 3 abordagens possíveis de serem adotadas pela banca tradicional − Greenfield, Bluefield, e Brownfield – para criarem filiais exclusivamente digitais.

No entanto a digitalização possui certas barreiras, incluindo: a falta de apoio a longo prazo da sede (47%), a relutância em adotar uma estratégia que canibalize a curto prazo da base de clientes da sede (43%) e, finalmente, a debilidade que pauta atualmente as propostas exclusivamente digitais (55%).

O estudo propõe ainda uma abordagem em quatro etapas para as empresas FinTech maduras que procuram crescimento e rentabilidade a longo prazo: diversificação de produtos para atrair uma base de clientes mais ampla; estruturação do ecossistema para criar mais pontos fortes; monetização dos serviços, das funcionalidades ou dos dados; e expansão para novos mercados.

Para além do aumento do nível de concorrência no mercado, os operadores tradicionais estão também sob pressão social. De acordo com o Global Retail Banking Voice do Customer Survey 2021, realizado para este estudo, 65% dos consumidores em todo o mundo querem que os bancos reduzam a sua pegada ambiental, adotando procedimentos desmaterializados, consumindo energia renovável e oferecendo cartões biodegradáveis. Quase um terço dos consumidores estaria disposto a pagar mais por produtos e serviços amigos do ambiente, ou mesmo a mudar para fornecedores que ofereçam produtos e serviços que respeitam o meio ambiente e a sociedade.

Metodologia do Estudo

O World FinTech Report 2021 baseia-se em 3 grandes fontes de informação: no Global Retail Banking Voice of the Customer survey 2021, nas entrevistas realizadas em 2021 com os gestores da Banca de Retalho e das FinTech, bem como no World FinTech Report 2021 Diretor Committee composto por gestores de bancos e de FinTech, por parceiros tecnológicos, por empresas de capital de risco e por facilitadores de negócio de todo o mundo. Pode consultar o estudo em: https://fintechworldreport.com