Quantcast
Produção

Estratégias das marcas de cerveja durante a pandemia de COVID-19

cerveja

Entre muitos outros temas, preparámos para a próxima edição da Distribuição Hoje, um Especial Cerveja onde ouvimos representantes da indústria – de marcas convencionais e artesanais – e retalhistas sobre a forma como a pandemia de Covid-19 tem afetado o setor. Antecipamos algumas estratégias levadas a cabo pelas empresas para fazer face ao estado de emergência e aos tempos de confinamento e isolamento social.

Foi preciso reinventar, adaptar a forma de atuar no mercado, acrescentar novidades, fazer campanhas ou fortalecer o canal online as entregas ao domicílio. O setor tem unido esforços para fazer face a quebras muito elevadas nas vendas e para preparar paulatinamente o retomar da atividade que não será a mesma, segundo o que se consegue prever e antecipar, apesar da imprevisibilidade do momento.

Cerveja Letra
Em primeiro lugar, houve a necessidade de garantir a segurança da equipa mas, em simultâneo, foi preciso pensar de imediato na forma como a marca se iria adaptar para conseguir cumprir com os compromissos. “Há um ano tínhamos desenvolvido uma nova loja online no nosso site, mas as vendas eram residuais em comparação com os canais de venda presenciais. Neste momento, em que o estado de emergência foi adotado, verificamos as vendas online a subir”, explica Francisco Pereira, um dos sócios fundadores da Cerveja Letra. Além da criação de uma cerveja exclusiva das vendas a partir do site, outros produtos têm sido lançados por esta via representando um volume de vendas importante para a atual situação financeira da empresa.

“Queremos que os nossos clientes fiquem em casa, oferecemos os portes acima de 12 unidades e 10% desconto a quem use o cupão ‘Ficaemcasa’. Na zona de Braga e Porto, sempre que possível, gostamos de entregar diretamente para que os nossos clientes vejam que a marca se preocupa na forma como a encomenda chega a suas casas”, salienta. À data de fecho desta edição, estava prevista a reabertura das Letrarias aos fins de semana com menus de refeição harmonizados com a nossa cerveja. “Iremos funcionar em regime de take-away ou com entregas via as plataformas de logística atuais que existem”, anuncia.

Desde o passado dia 17 de abril que é possível encomendar as bebidas do portefólio da Central de Cervejas através da plataforma home delivery Uber Eats, de forma conveniente sem que tenham de sair de casa.

Cerveja Vadia
O único mercado onde a marca percebeu que poderá haver um crescimento é o canal online e as entregas ao domicílio. “Do lado da nossa marca, arrancámos no ano passado com um projeto a que chamamos ‘Vadia em Casa’ e que, neste momento, achamos fazer todo o sentido desenvolver. O conceito deste serviço é levar a casa das pessoas, não apenas caixas de garrafas, como qualquer tipo de transportadoras ou plataforma online poderia levar, mas também um equipamento profissional de tiragem de cerveja a pressão, barris e copos, para o cliente desfrutar de cerveja a pressão sem sair de casa”, explica Nicolas Billard, cofundador da marca. O equipamento é instalado e ajustado na casa dos clientes por técnicos da marca num serviço personalizado que estará disponível num raio de 100 km à volta da cervejaria depois do levantamento do estado de emergência.

Empresa Cervejas da Madeira
O foco está na cerveja, mas também nos refrigerantes. “Em 2022, completamos 150 anos. Somos a única cervejeira 100 por cento portuguesa, se excluirmos as artesanais e a única fábrica de bebidas a produzir, em simultâneo, cerveja, refrigerantes e a engarrafar água. O nosso refrigerante mais antigo, a Laranjada, é 14 anos mais antigo do que a Coca-Cola e, provavelmente, o segundo mais antigo no mundo, logo depois da Schweppes”, relembra o administrador Miguel de Sousa. Considerando que a empresa tem uma longa história que quer manter e continuar, partilha o facto de vender Cerveja Coral e Vinho da Madeira no Japão. “Temos energia para vencer.”

Fábrica de Cervejas Portuense
O contexto atual levou ao reajuste da atividade da empresa. “A nível de vendas o canal off-trade teve um acréscimo de vendas, derivado do maior consumo das pessoas nas grandes superfícies. No entanto, a grande aposta da marca tem sido o canal online onde já superámos as 1000 encomendas no período de um mês”, explica Pedro Mota. De forma a operacionalizar rapidamente a operação, a aposta passou por começar a trabalhar em parceria com o Dott, que tem contribuído na gestão de todo o processo de compra e logística, e também na oferta de portes gratuitos para todo o país.

A Super Bock Group criou a iniciativa ‘Bock in Business’ permitindo aos consumidores comprar agora vouchers de consumo para usufruírem no futuro, quando os pontos de venda reabrirem.

“Temos como missão democratizar o acesso a cerveja de qualidade e, por isso, decidimos também avançar com uma campanha promocional forte, de forma a garantir que a Nortada chegava a casa de todos. Com isto, queremos também contribuir para que as pessoas possam ter momentos de lazer com a nossa cerveja, mesmo em quarentena. Toda esta estratégia foi alicerçada num plano de comunicação digital”, salienta o CEO. Ao nível da responsabilidade social, a empresa contribui para a iniciativa dos cervejeiros artesanais que estão a produzir e a doar desinfetante aos hospitais, lares e outras instituições que necessitam. “Mais recentemente, lançámos a ‘Obrigado’, uma cerveja em homenagem aos heróis da linha da frente, cuja receita reverte na totalidade para a iniciativa #Euajudoquemajuda da Cruz Vermelha Portuguesa”, remata.

Ao nível da responsabilidade social, a Fábrica de Cervejas Portuense contribui para a iniciativa dos cervejeiros artesanais que estão a produzir e a doar desinfetante aos hospitais, lares e outras instituições que necessitam.

Sociedade Central de Cervejas e Bebidas
Desde o passado dia 17 de abril que é possível encomendar as bebidas do portefólio da Central de Cervejas através da plataforma home delivery Uber Eats, de forma conveniente sem que tenham de sair de casa.

As marcas Sagres, Heineken, Bohemia, Guinness, Lagunitas, Bandida do Pomar, Água de Luso e Luso Fruta, entre outras, estão agora disponíveis na loja “À Nossa” do Uber Eats, um novo serviço disponível para a grande Lisboa, com entregas entre as 12h00 e as 22h30 (algumas lojas poderão ter horários mais reduzidos). E para celebrar este lançamento, numa compra de 10€ em bebidas, durante o fim de semana, é oferecido um 6-pack de Heineken de 25cl.

“Com esta parceria, a Central de Cervejas reforça a proximidade com os seus consumidores, proporcionando comodidade e a possibilidade de apreciarem as suas bebidas de eleição, com todo o conforto e à distância de um clique no seu smartphone. Esta é ainda uma iniciativa que visa reforçar as boas práticas de distanciamento social para a contenção da pandemia Covid-19”, adianta Nuno Pinto de Magalhães, diretor de comunicação e relações institucionais da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas.

A Sagres integra também uma iniciativa conjunta entre várias marcas que pretende fazer a ligação entre os estabelecimentos comerciais e os consumidores e está disponível em www.juntosvoltamosja.pt que pretende apoiar restaurantes, bares e cafés a abrir portas com a ajuda de todos. Os consumidores poderão de escolher o seu local preferido e contribuir com a aquisição dos vouchers no valor de 5€ a 100€, que posteriormente poderão desfrutar posteriormente durante os seis meses após o levantamento do estado de emergência.

Super Bock Group
Em parceria com a plataforma sPreserve.pt, desenvolvida no âmbito do movimento Tech4Covid19, a empresa criou a iniciativa ‘Bock in Business’ permitindo aos consumidores comprar agora vouchers de consumo para usufruírem no futuro, quando os pontos de venda reabrirem. Por cada voucher de 10€ comprado, a empresa oferece mais 5€, sendo o dinheiro enviado diretamente para os proprietários dos estabelecimentos para os ajudar a ultrapassar esta altura difícil.