Retalho

Distribuição alimentar com menos folhetos, mas mais inserções

folhetos_pingo_doce

Nas primeiras 18 semanas do ano, as insígnias da grande distribuição comunicaram num menor número de folhetos do que no mesmo período de 2019, mas colocaram mais inserções promocionais.

Desde o início do ano até 3 de maio de 2020, as insígnias da grande distribuição publicaram um total de 279 folhetos promocionais, de acordo com informação do serviço Foliotrack da Marktest.

O Continente, com 48 folhetos no período, foi a insígnia que mais apostou neste formato, responsável por 17,2% do total. Foi seguido pelo Lidl, com 45 folhetos (16,1%) e pelo Pingo Doce, com 40 folhetos (14,3%).

folhetos_marktest_abril_1

Estes números equivalem a uma descida de 11,7% relativamente ao mesmo período de 2019, quando um total de 316 folhetos foi observado. Em termos relativos, o El Corte Inglês foi a insígnia que mais reduziu a exposição em folheto, passando de 10 para 7 (menos 30%), enquanto o Minipreço Family subiu 16% passando de 18 para 21 folhetos.

Já em número de inserções, os números subiram ligeiramente em 2020, com mais 0,6% do que no mesmo período de 2019, passando de 95 mil para cerca de 96 mil inserções. O Minipreço Family foi a insígnia que, em termos relativos, mais desceu em número de inserções em folheto, com menos 45,5%, passando de 7.227 para 3.942, enquanto o Aldi foi a que mais aumentou face a 2019, com mais 14,8%, passando de 3.456 para 3.968.

folhetos_marktest_abril_2

Uma análise semanal mostra ainda que, em 2020, a semana 9 (de 24 de fevereiro a 1 de março), que foi a semana que precedeu o aparecimento dos primeiros casos positivos de COVID-19 em Portugal, foi a que registou um maior número de folhetos e de inserções em folheto, com 21 folhetos e 7.717 inserções. Depois dessa data, a tendência geral foi de quebra até à semana 15, semana da Páscoa (de 6 a 12 de abril), verificando-se um crescimento sucessivo depois dessa data. Na última semana em análise (de 27 de abril a 3 de maio), o valor observado em 2020 é superior ao de 2019, tanto em folhetos como em inserções (mais um folheto e mais 19% de inserções).