- Distribuição Hoje - https://www.distribuicaohoje.com -

“Da Minha Terra” para o Lidl

Lidl_Da_Minha_Terra

 

O Lidl Portugal acaba de abrir um canal direto para os pequenos produtos nacionais e regionais que, até agora, tinham dificuldades em entrar no canal da grande distribuição nacional.

O projeto “Da Minha Terra” visa, segundo Bruno Pereira, administrador de Compras do Lidl Portugal, dar uma “oportunidade numa conjuntura económica muito desfavorável”, aos fornecedores nacionais e, igualmente, “compensar a falta de escoamento de stock para o canal Horeca, que esteve encerrado”.

Este novo projeto do retalhista de origem alemã, que detém mais de 250 lojas em território nacional, desafia os pequenos produtores nacionais e regionais a apresentarem as suas empresas, até ao próximo dia 31 de outubro, abrindo assim um canal direto para que mais produtos locais possam estar à venda nas lojas da cadeia.

O projeto “Da Minha Terra” incidirá, fundamentalmente, em quatro produtos – queijos, charcutaria, doçaria e bolos secos -, embora os responsáveis do Lidl não fechem a porta a nenhum produto e/ou produtor, por mais pequeno que seja, desde que a qualidade esteja assegurada. “Não nos iremos reger por certificações internacionais que dificultariam a entrada destes pequenos produtores e que não iria ao encontro do objetivo que é ajudar a produção nacional”, admitiu Bruno Pereira.

Contudo, Alexandra Borges, diretora-geral de Compras do Lidl Portugal, que assumirá esta função a partir do próximo dia 1 de outubro, salientou que os produtores candidatos terão de possuir uma certificação de qualidade mínima HACCP (entre outras que tenham), identificar produtos com certificação DOP, IGP, ETG, entre outros, identificar se são empresa com Selo PME e qual a % de matéria prima nacional no produto.

Com as candidaturas a arrancar, como já referido a 31 de outubro, os responsáveis do Lidl estimam ter o mês de novembro como período de tomada de conhecimento dos produtos e produtores, pretendendo lançar um “Pitch Day” para os próprios produtores apresentarem os seus produtos.

A permanência neste projeto é de 12 meses, com a própria equipa do Lidl a estar envolvida na sugestão de produtos, numa espécie de “’scouting’ a quem pretenda ter acesso e um canal aberto a um grande operador do retalho alimentar em Portugal”, refere Bruno Pereira.

Depois de avaliadas as propostas recebidas, serão eleitos os vencedores, que passam a ter os seus produtos à venda em pelo menos 50 lojas Lidl – a nível regional ou nacional, dependendo da capacidade de fornecimento do produtor – já no próximo ano.

Não existindo objetivos de faturação e volumes pré-definidos, os responsáveis do Lidl Portugal dar-se-iam por satisfeitos se no primeiro ano fiscal da iniciativa – de referir que o ano fiscal do Lidl tem início a 1 de março – “fosse possível abrir as portas a 100 produtos ao consumo nas nossas lojas”, adianta Bruno Pereira. De acordo com o administrador de Compras do Lidl Portugal, “não deveremos assistir a um crescimento significativo. O que procuramos são as pequenas especialidades que, dada a especificidade ou pequeno volume, não têm tido oportunidades de aparecer na grande distribuição”.

Para quem não possua marca, o Lidl não tenciona comercializar os produtos sob marca própria do distribuidor, mas sim sob o “umbrela” da iniciativa “Da Minha Terra”. “Quem tiver marca, essa marca aparecer juntamente com o selo do projeto. Quem não possuir marca, o produto aparecerá com o respetivo selo, mas sempre com a identificação do produtor e região”, confirma Bruno Pereira.

De referir que o Lidl trabalha atualmente com 240 fornecedores nacionais e disponibiliza cerca de 860 produtos portugueses no seu sortido, pretendendo, agora, fazer crescer esses números para apoiar a produção nacional.

O apoio à produção nacional é, de resto, uma das prioridades do Lidl, que ao longo dos anos tem vindo a intensificar o seu compromisso apostando em parcerias com produtores e fornecedores portugueses. Só no ano de 2019, o Lidl ajudou a exportar 228 produtos nacionais no valor de cerca de 150 milhões de euros, impulsionando as vendas de 85 fornecedores.

Os produtores poderão encontrar toda a informação em https://www.lidl.pt/novidades/da-minha-terra [1].