Produção

Consumidores esperam apoio das empresas e marcas durante a crise

Consumidores esperam apoio das empresas e marcas durante a crise

Os apoios aos governos, serviços de saúde e aos consumidores devem estar no topo das prioridades das marcas e das empresas em todo o mundo durante a pandemia de COVID-19.

De acordo com a 1.ª vaga do Barómetro Global da Kantar, realizado em 30 países, e que terá resultados para Portugal a partir de abril, na segunda vaga da pesquisa, através da colaboração da Direção de Kantar Insights, do Grupo Marktest, representante em Portugal da Kantar Insights Division, os consumidores acham que as marcas devem continuar a comunicar para explicarem como são úteis no novo dia a dia e o que estão a fazer para combater a pandemia. No entanto, fica o alerta para que não exista “aproveitamento para promover a marca nesta fase”.

Os primeiros resultados deste estudo global – que auscultou mais de 25 mil consumidores em 30 mercados – revelam que os consumidores esperam que as marcas que escolhem privilegiem em primeiro lugar os seus funcionários: 78% dos inquiridos esperam que as marcas cuidem da saúde dos seus trabalhadores e 62% referem a implementação de sistemas de trabalho flexível como importante. O apoio aos hospitais (41%) e a ajuda ao governo (35%) estão também entre as expetativas de uma parte significativa dos consumidores.

Em contraponto, a expetativa de que as marcas deixem de fazer publicidade é muito baixa: apenas 8% dos inquiridos identificam esta questão como uma prioridade. Aliás, numa altura em que muitas marcas ponderam deixar de comunicar para reduzir custos, as estimativas da Kantar indicam que uma eventual ausência de 6 meses da TV resultará numa redução de 39% na notoriedade global da comunicação da marca, potencialmente reduzindo a recuperação num mundo pós epidemia.

Entre as marcas que continuem a fazer publicidade, a maioria dos consumidores espera que a comunicação dê um contributo positivo para a sociedade, referindo por exemplo como a marca é útil no novo dia a dia (77%) ou os esforços feitos para enfrentar a situação (75%). Mas há também armadilhas a serem evitadas na publicidade durante a pandemia: a situação do coronavírus não deve ser explorada para promover a marca (75%) e os tons humorísticos devem ser evitados: (40%).