Tecnologia

Blockchain poupará 29 mil milhões de euros à indústria alimentar até 2024

Blockchain

O blockchain poderá fazer poupar 31 mil milhões de dólares (cerca de 29 mil milhões de euros) à indústria alimentar até 2024, impulsionado por parcerias da IoT, revela um recente relatório da Juniper. Esta poupança terá como principal eixo a redução na fraude alimentar, incluindo alimentos erroneamente identificados, diluídos ou substituídos, salientando a consultora que serão realizadas economias substanciais em fraudes alimentares a partir de 2021 e os custos de conformidade serão reduzidos em 30% até 2024.

O relatório “Blockchain: Principais Oportunidades Verticais, Tendências e Desafios 2019-2030”, revela que o blockchain, usado com sensores e rastreadores de IoT, reduzirá os custos dos retalhistas, simplificando as cadeias de abastecimento; oferecendo conformidade regulatória mais simples e um processo eficiente de recolha de alimentos.

Com base nos pontos fortes, o blockchain e a IoT podem revolucionar a indústria alimentar, refere o relatório. Embora as soluções de IoT conectem os mundos físico e digital, principalmente por meio de sensores de rastreamento de localização e monitorização de temperatura e humidade, o blockchain fornece uma plataforma imutável onde esses dados podem ser armazenados e acedidos por todos os intervenientes do processo.

O relatório da Juniper constatou que a IoT e o blockchain agregarão valor significativo aos atores envolvidos na cadeia de abastecimento, dos agricultores aos retalhistas e consumidores. Ao substituir procedimentos demorados por contratos inteligentes automatizados, o blockchain e a IoT trazem reduções de custo, mitigação de riscos e transparência às cadeias de abastecimento.

A Juniper destaca, igualmente, que os principais players do universo tecnológico estão atentos a estes cenários, dando como exemplo plataformas como a “Food Trust” da IBM, as plataformas “Track and Trace” e “Leonardo” da SAP, bem como as soluções “Track and Trace” da Oracle e soluções IoT.

Os autores do relatório concluem que “hoje, a transparência e a eficiência na cadeia de abastecimento alimentar são limitadas por dados opacos, forçando cada empresa a confiar em intermediários e registos em papel. O blockchain e a IoT fornecem uma plataforma compartilhada e imutável para todos os atores da cadeia de abastecimento rastrearem os produtos, economizando tempo, recursos e reduzindo fraudes”.