Quantcast
Retalho

Auditor questiona viabilidade da Worten em Espanha

Worten

A pandemia da covid-19 veio prejudicar ainda mais os negócios da Worten em Espanha, lê-se na imprensa do país vizinho. De acordo com as contas anuais e o relatório de auditoria do ano de 2019, recentemente depositado no “Cadastro Mercantil”, o auditor da Worten (PwC) questiona a sua viabilidade porque, no final de 2019, o passivo circulante da empresa pertencente ao universo Sonae excedeu os ativos em 67 milhões de euros.

O retalhista especializado na área da eletrónica da Sonae, “já arrastava milhões em perdas nos últimos anos, mas o estado de emergência causado pela propagação do vírus aumentou as dúvidas dos seus auditores sobre a capacidade de continuidade da empresa”, pode ler-se no site espanhol CincoDías.

Segundo as contas do site pertencente ao universo El País, a Worten aumentou as perdas em 33%, em 2019, para 34,9 milhões, com as vendas a cair 10% para 219,5 milhões.

Aliás, o site adianta que “desde 2008, [a Worten] acumulou mais de 350 milhões em perdas”, revelando a insígnia ao CincoDías que está “focada no crescimento dos seus canais digitais”, que duplicaram a sua atividade ano a ano.

A estratégia online faz, de resto, parte do plano para a melhoria da rentabilidade das operações em Espanha, o que levou ao encerramento de seis lojas físicas em 2020 sem viabilidade económica. Através do plano de transformação do negócio, que está a ser desenvolvido “de acordo com as expectativas”, a Worten acredita que “alcançará a rentabilidade operacional em Espanha já em 2021”, diz o retalhista ao CincoDías.