Retalho

Acompanhamento e avaliação das condições de abastecimento e do retalho envolve 18 entidades e quatro ministérios

supermercado

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação das Condições de Abastecimento de Bens nos Setores Agroalimentar e do Retalho em Virtude das Dinâmicas de Mercado determinadas pelo COVID-19 envolve 18 entidades e quatro áreas governativas: Economia, Agricultura, Infraestruturas e Habitação e Mar.

Este grupo de trabalho, que volta a reunir-se amanhã, dia 25 de março, tem avaliado e acompanhado as condições de abastecimento de bens nos sectores agroalimentar e do retalho, em estreita articulação e coordenação entre os setores público e privado, o que permite afirmar que, até ao momento, não se verifica qualquer risco de rutura de stocks no país.

Integram o Grupo de Acompanhamento:

  • Direção-Geral das Atividades Económicas (DGAE);
  • Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE);
  • Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral da Agricultura (GPP);
  • Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV);
  • Associação dos Distribuidores de Produtos Alimentares (ADIPA);
  • Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP);
  • Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM);
  • Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED);
  • Casa do Azeite – Associação do Azeite de Portugal;
  • Federação das Indústrias Portuguesas Agroalimentares (FIPA);
  • Federação Nacional das Cooperativas de Produtores de Leite (FENALAC);
  • Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas (FNOP);
  • Federação Portuguesa das Associações Avícolas (FEPASA);
  • Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS).

Além destes membros, juntaram-se posteriormente a Associação Portuguesa de Industriais de Carnes (APIC), a DOCAPESCA – Portos e Lotas e a Fileira do Pescado e nas próximas reuniões está prevista a participação da SIMAB – Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores, que envia relatórios diários de situação, e da ACICO – Associação Nacional de Armazenistas, Comerciantes e Importadores de Cereais e Oleaginosas.