Quantcast
Retalho

Vestuário e calçado impulsionam crescimento do comércio a retalho

Saúde e Beleza será o ‘motor’ da procura de espaços de retalho

O Instituto Nacional de Estatística divulgou durante os últimos dias de 2021 dados referentes ao mês de novembro, com Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho a exibir um comportamento muito positivo, com um crescimento, em termos homólogos, de quase 10% (9,9%).

Segundo o explicado, esta é também uma subida de 6.6 pontos percentuais face ao mês anterior, outubro, com o desempenho muito positivo a dever-se em grande medida ao crescimento nos produtos não alimentares.

 

Este segmentou cresceu 14% em novembro, quando no mês anterior a subida fora de 4,4%, sendo que o agrupamento de têxteis, vestuário, calçado e artigos de couro atingiu uma subida de 38,9% em novembro, mais 30 p.p. face a outubro.

Já no agrupamento de produtos alimentares, registou-se também um crescimento homólogo de 4,9% em novembro, mais 2,9 p.p. em relação a outubro, sendo que, segundo explicado pelo INE, “as variações dos índices dos agrupamentos Produtos Alimentares e Produtos não Alimentares situaram-se em 9,1% e 19,5%, respetivamente (5,3% e 10,2% no mês precedente, pela mesma ordem)”.