Quantcast
Tecnologia

Soluções ‘contactless’ estão presentes na vida de 89% dos portugueses

89% dos portugueses afirma que as soluções contactless (teletrabalho, comunicação remota, pagamentos, etc.) estão presentes na sua vida.

O Barómetro Europeu Consumo do Observador Cetelem revela que 81% dos europeus e 89% dos portugueses afirma que as soluções contactless (teletrabalho, comunicação remota, pagamentos, entre outros) estão atualmente presentes no seu dia a dia.

O Observador Cetelem revela ainda que, antes da pandemia, esses números situavam-se nos 73%, para os europeus, e nos 56%, para os portugueses. Os países que antes da pandemia mais lidavam com este tipo de soluções eram o Reino Unido (88%), a Suécia (82%) e a República Checa (81%).

 

46% dos europeus consideram hoje ser a Covid-19 o que melhor representa o contactless, devido à vida sem contacto. Os portugueses (62%) e os italianos (60%) são os que mais partilham esta ideia. Já 37% dos europeus associam contactless aos “pagamentos”, 35% às “comunicações virtuais” e 33% ao “teletrabalho”.

Apesar de reconhecerem que já existiam antes, 39% dos europeus defendem que o desenvolvimento destas soluções foi impulsionado pela pandemia. Austríacos (51%), britânicos (48%) e suecos (45%) são os que mais partilham esta visão. Portugal encontra-se perto da média europeia com 37%.

Futuro do contacless

Questionados quanto ao futuro, onde exista um aumento do uso destas soluções, 53% dos europeus acham desejável, destes 42% moderadamente desejável e 11% bastante desejável. Para 47% dos europeus um maior uso destas soluções é indesejável, principalmente para romenos (56%), búlgaros (55%) e italianos (55%). Os espanhóis (63%) e os checos (63%) são os que acham mais desejável. No caso dos portugueses, 55% concorda que a sociedade faça um maior uso do contactless , mas os restantes 45% não estão muito convictos.

80% dos europeus concordam com a ideia de que a sociedade vai continuar a aumentar o uso das soluções contactless, estando os portugueses entre os que acham mais provável esse cenário acontecer (88%). Apenas 20% dos europeus acham que é improvável.

Metodologia:

O inquérito quantitativo aos consumidores foi conduzido pela Harris Interactive entre 27 de novembro e 8 de dezembro de 2020, em 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido, Eslováquia e Suécia. Foram realizados inquéritos online num total de 14 200 indivíduos (através do método CAWI). Os inquiridos, com idades compreendidas entre os 18 e os 75 anos, foram selecionados de amostras nacionais representativas de cada país. A representatividade da amostra foi assegurada pelo método de quotas. Foram realizados 800 inquéritos em cada um país, exceto em França onde foram realizados 3 000 inquéritos.