Quantcast
Retalho

Lojas físicas vs compras online: Eis o que nos mostram os dados

A in-Store Media divulgou um novo estudo que prova que apesar do crescimento exponencial das compras online os consumidores ainda continuam a ter a loja física em grande conta. De acordo com o explicado, ambas as formas de compra, presencial ou digital, têm as suas vantagens para o consumidor e este parece percecioná-las concretamente.

Assim, explica a consultora em comunicado, antes da pandemia, as compras online eram sobretudo de viagens (56%), informática e eletrónica (55%) e roupa e acessórios de moda (52%). Contudo, após a experiência do confinamento derivado da Covid-19, as categorias que mais cresceram online foram as compras para o lar (de 43% par 71%: +28pp) e alimentação (de 46% para 72%: +26pp).

 

Num mesmo documento, explica-se ainda que atualmente 7 em cada 10 portugueses já compra online várias vezes por mês, dado que contrasta com os 4 antes da pandemia. “Esta é uma mudança especialmente relevante na geração baby-boomers, pessoas com mais de 55 anos, uma vez que, antes da pandemia apenas 29% comprava online várias vezes por mês e, agora, são quase 70%. Em geral, os homens consomem mais online do que as mulheres”, explica-se.

O estudo da in-Store Media concluiu, ainda, que mesmo com o crescimento das compras online de alimentação e bebidas, os consumidores continuam a loja física para parte das duas compras e que apenas 15% dos inquiridos afirma fazer todas as suas compras online. “Este mix na utilização dos canais físicos e online depende mais dos produtos e menos do canal. Ou seja, a grande maioria dos consumidores que usa o canal online escolhe deslocar-se aos hipermercados (92%) ou supermercados (76,8%), mas para efetuar, sobretudo, compras de produtos frescos como frutas, legumes, carne e peixe (36%), ovos (34%) e congelados (31%)”, acrescenta o estudo..

 

Mariana Passos, e-commerce sales manager, na in-Store Media Portugal, afirma que “os dados do estudo confirmam a importância da omnicanalidade para as marcas, uma vez que, apesar de os consumidores continuarem a ter a loja física como referência, estão a comprar cada vez mais online os produtos para o dia-a-dia das suas casas. A opção pelo canal online é feita, sobretudo, pela conveniência, mas também pela comodidade associada à ausência de horário, por exigir menos tempo e por ser mais seguro no contexto da pandemia.”

Os inquiridos apontaram ainda outros motivos para comprar online, como a possibilidade de poderem adquirir um produto específico difícil de encontrar na loja física (46%), para aproveitarem uma iniciativa ou promoção especial (39%), como a Black Friday ou a Cyber Monday, ou comprarem nos períodos em que as lojas estão fechadas (21%).

 

Outros aspetos mais valorizados pelos e-shoppers, enquanto compram online, são encontrar descontos (84%) e ver lançamentos de novos produtos (53%), com 65% a afirmar aderir a promoções e iniciativas especiais e 38% a sorteios e concursos.