Quantcast
Puericultura

Nutrição infantil cada vez com maior peso

bebé

A área de nutrição infantil assume extrema importância. 2015 foi um ano em que o setor ganhou novo impulso depois de um longo período caracterizado pelo decréscimo da natalidade em Portugal. As marcas continuam a inovar, a apresentar novos produtos, conheça algumas novidades.

Quando se fala de puericultura, pensamos de imediato em alimentação infantil, fraldas e produtos de higiene. Qualquer consumidor com filhos sabe o quanto representa a categoria no orçamento familiar mensal. Por outro lado, o facto de a taxa de natalidade estar em decréscimo tem afetado muito o setor. “Nos últimos dez anos nasceram menos 30 mil bebés em Portugal”, explica Adriana Cruz, gerente de Unidade de Negócio Nutribén Alter.

As estatísticas pouco animadoras, no entanto, sofreram um revés segundo os dados do Instituto Ricardo Jorge que se basearam no número de recém-nascidos que fizeram o teste do pezinho no primeiro semestre do ano. “Nasceram mais 1.500 bebés em relação ao período homólogo de 2014”, acrescenta. De acordo com dados da Nielsen, verifica-se “um aumento vendas na categoria dos leites para lactentes, nomeadamente no massmarket, bem como dos boiões (homogeneizados). Por outro lado, há uma redução nas vendas e no consumo das farinhas infantis”, diz-nos.

A empresa que comercializa a Nutribén, uma gama de produtos desenvolvida em linha com “as mais recentes recomendações sociedades de pediatria internacionais e dentro da apertada legislação europeia”. A novidade mais recente desenvolvida pelo Departamento de Investigação e Desenvolvimento e lançada pela marca no nosso país no decorrer deste ano “é a nova gama de boiões biológicos, que trazem à conveniência destes produtos, um sabor ainda mais fresco, autêntico e naturalmente saudável, devido aos ingredientes de origem biológica”, revela a responsável. Por todas as suas características, esta categoria é muito “emocional” pois todos os dias surgem novos consumidores.

“A Nestlé vê esta categoria como muito exigente/desafiante, com grande potencial de crescimento através de uma oferta inovadora e diversificada, que permita acompanhar as diferentes necessidades nutricionais de cada fase de desenvolvimento e crescimento das crianças, desde a conceção até aos dois primeiros anos de vida”, salienta Fernando Carvalho, country business manager infant nutrition da empresa. Assim, a inovação é o principal motor de crescimento da empresa e através dela que se tem registado “um bom desempenho”.

cute baby boy digging the ground in spring forest
Também a diretora comercial Iberia da Milupa Danone Nutricia Early Life Nutrition, Dina Gomes, referiu à DISTRIBUIÇÃO HOJE, a descida de natalidade nos últimos anos e a recuperação no primeiro semestre de 2015. “Temos assistido a um comportamento de mercado mais positivo do que o vivido em anos anteriores. Dentro da categoria de alimentação infantil, há que destacar os leites infantis e a alimentação complementar, cujas dinâmicas de mercado são completamente distintas”. Por outro lado, “a entrada de uma terceira marca no mercado no final do ano passado tem resultado num maior dinamismo e na aceleração do crescimento deste canal que é o de maior peso para o segmento”.  No que respeita à “alimentação complementar, o crescimento é um pouco mais modesto, sendo que os subsegmentos que mais impulsionam este crescimento são as frutas e as sobremesas”, sublinha.

De acordo com um estudo realizado com um  painel de 1.329 mães de bebés dos 6 aos 12 meses, onde 79,3% já tinha dado a consumir produtos da marca ao seu filho, o fator claramente mais importante para a escolha por parte das consumidoras “foi a imagem de qualidade dos produtos (88,5%), seguido pela segurança (78,7%) e a indicação do profissional de saúde ( 68,5%)”

Produtos inovadores

São as fórmulas lácteas infantis e as papas que têm maior procura na totalidade de produtos da “Nutribén, nomeadamente no canal especializado da farmácia”. De acordo com um estudo realizado com um  painel de 1.329 mães de bebés dos 6 aos 12 meses, onde 79,3% já tinha dado a consumir produtos da marca ao seu filho, o fator claramente mais importante para a escolha por parte das consumidoras “foi a imagem de qualidade dos produtos (88,5%), seguido pela segurança (78,7%) e a indicação do profissional de saúde ( 68,5%)”, explica Adriana Cruz.

A Nestlé investe bastante em inovação, investigação e desenvolvimento de alimentos infantis “nutricionalmente equilibrados” de forma a respeitar o compromisso “Começar Saudável, Viver Saudável”, daí que a empresa apresente um portfólio alargado de alimentos que são fundamentais para a diversificação alimentar do bebé. “Um exemplo recente é nova geração de papas Cerelac rica em ferro: nova fórmula desenvolvida para garantir que os bebés têm uma nutrição adequada às suas elevadas necessidades nutricionais, superiores às de um adulto, especialmente no que diz respeito a micronutrientes essenciais, como o ferro, que contribui para o desenvolvimento cognitivo normal do bebé.

De forma a garantir o aporte diário correto de ferro, cada refeição de Cerelac fornece agora mais de 50% das necessidades diárias de ferro”, salienta Fernando Cardoso. Por outro lado, os boiões e “pacotinhos Naturnes de fruta” resultam da inovação em combinações e formatos originais e diversificados. “Preparados com as melhores frutas, 100% naturais, cozidas a vapor, sem adição de açúcares, contêm apenas os açúcares naturalmente presentes na fruta. Nesta gama, criámos ainda variedades de fruta com cereais e fruta com bolacha”. Além desta novidade, a empresa lançou ainda as refeições “Naturnes Seleção, com um formato mais largo e por isso mais prático. À base de legumes da horta (com frango, com vitela ou com pescada), estas são refeições nutricionalmente completas e equilibradas para bebés a partir dos 6 ou 8 meses”.

Por último, o novo formato “Iogolino” foi lançado em 2015 e desenvolvido a pensar nas necessidades dos bebés mas também dos pais. “Em forma de pacotinho, sem precisar de frio e numa embalagem perfeita e hermeticamente selada, o Iogolino apresenta maior portabilidade/praticidade e foi especialmente concebido para estimular os mais crescidos a aprenderem a comer o seu iogurte diretamente do pacote, contribuindo para o seu desenvolvimento”, revela o responsável.

O ano de 2015 foi  bastante importante para as marcas da “Milupa – Danone Nutricia Early Life Nutrition: Aptamil leites de transição e crescimento e Blédina”, salienta Dina Gomes. Com abordagens bastante diferentes no mercado, as duas marcas têm como finalidade ajudar os pais a proporcionar uma nutrição completa e adequada aos seus bebés, promovendo ainda o desenvolvimento de bons hábitos alimentares, desde o seu início de vida”.

Por um lado, “Aptamil leites de transição e crescimento, uma marca de referência no mercado de leites infantis, lançou este ano uma nova campanha com o objetivo de reforçar o trabalho de confiança e credibilidade junto dos pais portugueses, apoiada em 100 anos de investigação que nos inspiram todos os dias, para que possamos ajudar as mães e os pais a realizar as melhores escolhas alimentares para os seus bebés, pensando no seu futuro”, esclarece a diretora comercial. A pensar nesse objetivo foi relançado o site www.aptababy.com.pt, uma plataforma “única para as mães” que funciona através de um programa de serviços que promete acompanhá-las o momento da conceção até aos dois anos de idade dos seus filhos.

Por outro lado, a marca de alimentação complementar “Blédina” lançou recentemente a campanha “Do Campo para a Mesa” que, mais do que uma campanha promocional, pretende mostrar às famílias portuguesas a qualidade e origem dos seus produtos. “A nova campanha revela ainda a importância da educação alimentar para construir as bases de uma boa nutrição para o futuro. Isto tudo aliado também à comunicação em novas plataformas, como o Facebook, e um novo site”, explica Dina Gomes.

Aumentar a presença de mercado

Os produtos Nutribén, até ao ano 2014, eram vendidos exclusivamente em farmácias e parafarmácias. No entanto, existia uma percentagem significativa de consumidores que apenas comprava produtos de alimentação infantil no grande consumo, principalmente nas categorias de papas e boiões infantis. “Com o crescimento sustentado apresentado na ultima década e a liderança no canal farmácia e parafarmácia, o grande desafio da Nutribén era manter este crescimento e ter uma maior presença no mercado. Esta situação originou uma mudança de paradigma, com a entrada da marca no grande consumo, onde conseguimos aumentar a participação da Nutribén no mercado de alimentação infantil com a conquista de novos consumidores”, explica Adriana Cruz. A faturação da Unidade de Negócio da marca representa hoje “32% do total da empresa”.

Os produtos Nestlé têm “uma herança incomparável” resultante de um know how “com mais de 150 anos no mundo (e 92 em Portugal e com uma experiência ímpar em investigação da nutrição pediátrica”. Exemplo disso é a marca Cerelac conhecida de pais e filhos, atravessando gerações. “A área da nutrição infantil tem uma grande importância para a Nestlé por ser a porta de entrada da marca na vida dos nossos consumidores”, explica o country business manager. O objetivo é continuar a crescer e a conquistar “quota de mercado”.

Por seu turno, a Milupa defende que a amamentação exclusiva até aos seis meses de idade “com a introdução de alimentos complementares até aos dois anos de idade constitui o alimento ideal para os bebés”, salienta a diretora comercial. Nos casos em que, por diversas razões, a amamentação não é possível, “os leites de fórmula são a única alternativa adequada e segura para alimentar os bebés até aos seis meses. Outro dos casos mais comuns é quando o profissional de saúde assistente recomenda o início da diversificação alimentar, altura em que os cereais e as frutas são normalmente introduzidos.

Close-up of a mother giving food to her adorable baby at home

Os cereais porque estão bastante “instituídos” na nossa dieta, e as frutas porque, cada vez mais, os pais valorizam uma oferta segura e de qualidade que lhes permita libertar tempo para estarem com os seus filhos e dedicarem-se a outras atividades”, sublinha.  No que respeita a leites infantis, Aptamil leites de transição e crescimento registou “um crescimento superior ao do mercado em 2014 e os números indicam que iremos na mesma direção este ano. A marca está a consolidar a sua posição no mercado através de um trabalho contínuo de educação e credibilidade junto das mães e dos pais, profissionais de saúde e retalhistas, sempre com a missão de ajudar na construção do futuro dos nossos bebés”, defende Dina Gomes.

No que se refere diretamente à “Blédina”, a expectativa é imprimir “um crescimento sustentável a médio prazo uma vez que o trabalho de reestruturação e comunicação que teve início pretende estabelecer bases fortes ainda que com um longo caminho pela frente”. Para alcançar esse objetivo, foi lançada a página de Facebook, a campanha “a 360º apoiada na assinatura ‘Do Campo para a Mesa’, onde são desmistificados alguns mitos que existem relativamente à alimentação complementar, a reformulação do site e a construção de um plano de comunicação em torno da campanha.

A empresa valoriza também o papel de quem lida com o shopper todos os dias promovendo ações de formação aos colaboradores das grandes superfícies no sentido de os sensibilizar para importância desta categoria na loja. 

A empresa valoriza também o papel de quem lida com o shopper todos os dias promovendo ações de formação aos colaboradores das grandes superfícies no sentido de os sensibilizar para importância desta categoria na loja. “Por exemplo, ter um linear bem organizado para facilitar o processo de compra ou ter a capacidade de prestar algum tipo de esclarecimento que seja necessário. Por outro lado, também no ponto de venda, temos de ter a capacidade de nos reinventarmos. Promovemos espaços de visibilidade da marca fora do espaço de nutrição infantil, de forma a aumentar a perceção de proximidade da marca e a importância de uma nutrição adequada”, conclui a diretora comercial.