- Distribuição Hoje - https://www.distribuicaohoje.com -

Consumidores querem gastar mais no Natal e ainda preferem ‘comércio tradicional’

Os consumidores a nível global planeiam gastar em média 529 euros nesta época natalícia, em comparação com os 477 euros do ano passado.

Os consumidores a nível global planeiam gastar em média 529 euros nesta época natalícia [1], em comparação com os 477 euros do ano passado, de acordo com os resultados do 15º Holiday Shopping Survey da Accenture [2].

Em comunicado, a consultora revela ainda que a maioria (71%) pretende gastar tanto ou mais do que no ano passado. Os millennials entre os 32 e 39 anos, que preveem gastar em média 624 euros, apresentam o valor mais elevado entre qualquer faixa etária.

 

O estudo da Accenture, que incluiu mais de 1.500 consumidores, destaca que 58% dos consumidores querem comprar no comércio local e a retalhistas independentes.

“Embora o aumento previsto nos gastos do consumidor seja uma boa notícia para os retalhistas, o nosso relatório indica que os eventos do ano passado, provavelmente, afetarão os hábitos de consumo de diferentes gerações neste período festivo”, afirma a vice-presidente da Accenture Portugal, Manuela Vaz, responsável pelas áreas de Retalho e Bens de Consumo.

 

Apesar do boom do online, mais de metade (54%) das pessoas em geral – e 70% dos consumidores da Geração Z – planeiam fazer a maior parte das suas compras de Natal em loja. Já 54% dos baby boomers preveem fazer a maior parte das compras online.

Além disso, 25% dos consumidores em geral – e 42% dos millennials mais jovens – indicam que experiências partilhadas, como aulas de culinária, cânticos natalícios ou atividades para as crianças, podem incentivá-los a escolher uma loja em detrimento de outras.

 

A pandemia, juntamente com as questões de abastecimento e transporte, preocupa um terço (34%) dos consumidores, que pretendem fazer antecipar as compras. Além disso, a Black Friday e a Cyber ​​Monday continuam a perder o seu interesse, contrastando a visão entre consumidor e retalho. Enquanto 22% dos consumidores planeiam fazer compras nesses dias, 42% dos executivos de retalho esperam-no.

“O declínio da popularidade da Black Friday, juntamente com o facto de que os consumidores começam cada vez mais cedo as suas compras de Natal, significa que os retalhistas e as marcas precisam de conseguir envolver os consumidores durante este período”, disse Manuela Vaz.

 

“Os consumidores vão redirecionar parte dos seus gastos em ofertas materiais para experiências e serviços, mas isso é mais pronunciado entre as gerações mais jovens, que são mais propensas a viajar, socializar durante o período de festas, e também a procurar e oferecer experiências”, explica ainda o estudo.