Quantcast
Retalho

Apenas 10% dos retalhistas portugueses quer manter experiência online separada da offline

Um estudo divulgado esta quinta-feira, dia 25 de novembro, pela Adyen, plataforma de pagamentos, mostra que os retalhistas portugueses estão crescentemente preocupados com a convergência da experiência do cliente em ambiente digital e físico.

Segundo o apurado por este estudo, 36% dos retalhistas portugueses mantém ativa uma estratégia formal e ativa de digitalização, sendo que apenas 10% têm canais físicos e online diferentes e não pretende uni-los. Porém, o dado que mais ressalta é o facto de 75% dos inquiridos revelar reconhecer a importância de oferecer todas as opções de pagamento que os seus consumidores pretendam utilizar.

 

No âmbito do estudo, apelidado a Metamorfose do Retalho, foram inquiridos 102 retalhistas e mais de 1000 consumidores, sendo que 34% dos consumidores admitiram estar a monitorizar mais os seus gastos agora devido à incerteza económica, sendo que 43% indicaram que, em 2021, têm poupado e fazem compras com menos frequência.

Relativamente à digitalização da relação com o dinheiro, 44% dos consumidores assumiu que costumava preferir pagar em dinheiro, mas desde a pandemia mudaram para cartões ou carteiras digitais. Neste âmbito, 25% dizem mesmo ter ido mais longe, afirmando já não utilizar cartões físicos uma vez que confiam no dispositivo móvel ou carteiras digitais como Apple Pay ou Google Pay.

 

Assim, afere o estudo que 87% dos portugueses inquiridos preferem pagar com cartão em vez de dinheiro, admitindo 34% que se preocupam mais agora em não esperar em longas filas e 41% diz mesmo que faz desvios para ir a lojas que não têm filas (ou onde sabem que a conclusão da compra será facilitada).

Juan José Llorente, Country Manager da Adyen para Portugal e Espanha, afirma que “é interessante observar como os conhecimentos tecnológicos dos consumidores aumentaram à medida que o seu nível de exigência crescia. O isolamento, a distância social e as diferentes restrições forçaram as empresas portuguesas a amadurecer e investir mais dinheiro e esforço nos processos para levar a cabo a sua transformação digital. Em Portugal estamos no bom caminho com 36% dos retalhistas a contar já com uma estratégia formal e ativa de digitalização, número que seguramente continuará a aumentar e que, dúvida é um dado animador para o futuro da economia local.”