Quantcast
Retalho

Amazon planeia abrir loja de roupa onde o algoritmo é que recomenda o que experimentar

O retalho está novamente a dar mostras de que é muito permeável à inovação e, sobretudo, às exigências do consumidor. Depois da aceleração digital propiciada pela Covid-19, que levou o e-commerce para um novo patamar, agora a integração tecnológica na jornada de compra parece ser o próximo passo a dar.

Segundo o explica pelo site Charged, a Amazon prepara-se para abrir uma nova ‘loja’, sendo que desta feita o espaço será dedicado à venda de artigos de vestuário. Se até aqui não há grande novidade, o facto é que o aconselhamento ao cliente passará a ser feito por um algoritmo.

 

Descrevendo-o como um “armário mágico”, neste espaço comercial as sugestões sobre o que experimentar serão feitas por um computador, sendo que apenas será necessária a digitalização de um código na aplicação da Amazon, isto após o preenchimento de um questionário sobre o estilo preferido dos utilizadores.

Os primeiros rumores indicam que esta loja deverá abrir portas em Los Angeles, num espaço com mais de 30 mil metros quadrados.

 

“Não faríamos nada no retalho físico a menos que sentíssemos que poderíamos melhorar significativamente a experiência do cliente”, disse à Reuters a diretora-geral da Amazon, Simoina Vasen.

Os utilizadores entrarão numa fila virtual para o provador, que será desbloqueado por intermédio do seu smartphone quando estiverem prontos. Depois cada provador conterá um “espaço pessoal para o utilizador continuar a comprar sem precisar sair desse espaço”, acrescentou Vasen.

 

“É como um armário mágico com uma seleção aparentemente interminável”, explicou Vasen, afirmando que os clientes poderão encontrar peças básicas por 10 dólares ou coleções mais exclusivas a 400 dólares.