Quantcast
Economia

Apenas 34% dos portugueses prevê gastar mais do que em 2020

GfK:Consumidores portugueses estão mais dispostos a comprar

O Observador Cetelem divulgou esta terça-feira um novo estudo, desta feita sobre os impactos da crise económica gerada pela pandemia de Covid-19, lembrando a instituição que “após a recessão económica provocada pela crise do subprime, que atingiu e abalou a totalidade do globo, a pandemia da Covid-19 constitui a segunda vez que se regista uma onda de choque tão profunda, com consequências múltiplas e efeitos ainda não totalmente conhecidos”.

Neste sentido, após inquirir consumidores de 15 países europeus, o estudo constatou que apenas 34% dos auscultados prevê gastar mais, em termos de consumo, do que no ano de 2020, sendo que Portugal, neste âmbito, se encontra dento da média europeia. “Em Itália – por norma um dos países onde o consumo é maior – este valor é de 38%, verificando-se a queda mais significativa (-26 pontos)”, constata o estudo.

Por outro lado, os dados relativos à poupança deixam algum otimismo, com “54% dos europeus a afirmarem que pretendem poupar mais do que no ano anterior, um aumento de 3 pontos e um valor recorde. Em Portugal, as intenções de poupança desceram 1 ponto face a 2020, apesar de permanecerem historicamente elevadas (59%) e estarem acima da média europeia (54%). Em Itália, estas intenções aumentaram 11 pontos, para 51%, mas continuam abaixo da média europeia”.

Por fim, analisando-se a predisposição para consumir, 48% dos europeus defendem uma ideia de consumo mais restrito (mais 5 pontos face a 2020), em que, desses, 26% dizem não querer consumir apesar de terem capacidade para tal (+4 pontos) e 22% indicam não querer porque não têm capacidade (+1 ponto). “Os portugueses encontram-se na média, com 47% dos portugueses a manifestar menos vontade de consumir, tendo 22% essa capacidade, mas não vontade”, acrescenta o estudo.