Blog "O Retalhista"

Tecnologia boa

ronnie-james-dio-hologram-cd4ff31d-b068-4212-b9f9-45d3e1da8522

Depois de uma semana “a brincar ao Carnaval” o Retalhista está de volta. E o mundo continua a rodar e a evoluir, apesar de Trump . Quem diria que as Bitcoin estão a ganhar tanto valor? Sinceramente, mais 10 anos e vamos deixar de andar com dinheiro físico. E isso será positivo e evitará preocupações destas.

Como escrevi antes a tecnologia tem coisas boas, desde que utilizadas para um bom propósito, como este. Incrível, não?

E agora uma coisa que nada tem a ver com retalho, mas que pode vir a mudar a forma como consumimos no futuro, e me deixou de boca aberta durante uns segundos: estão a recuperar pessoas mortas através de hologramas.

Neste caso um concerto de hard rock da banda Dio (vejam o vídeo, o som  é da “pesada”, preparem-se!) que recuperou as imagens do seu falecido vocalista e fundador para um concerto “ao vivo”. Uma tecnologia que já nos é familiar mas que nos leva aqui a um outro nível. De tal forma que foi anunciada para breve uma tournée mundial da banda mais o holograma do falecido Ronnie James Dio.

Agora imaginem isto em lojas? Imaginem, por exemplo, chegarmos a uma flagship store da marca alemã Puma e termos a embaixadora da marca, Rihanna a atender-nos, ou melhor o seu holograma. Ou numa loja da Nike, ter Cristiano Ronaldo a aconselhar-nos um determinado par de sapatilhas (o holograma do CR7, entenda-se).

Acredito seriamente neste tipo de soluções. É falso, sim, um pouco, mas se a experiência do consumidor for interessante não haverá quaisquer problemas em apostar numa tecnologia destas desde que o consumidor saibam do que se trata.
Por fim, e numa semana em que esta foi a notícia mais lida da DISTRIBUIÇÃO HOJE deixo-vos um artigo sobre inteligência artificial e como ela deve entrar nas organizações. E já agora mais este artigo sobre a transformação digital, muito importante!. Tudo para os nossos leitores!!!

Boa semana.
p.s. – há um artigo na revista Monocle de março sobre Portugal que deve ser lido por todos