Pagamentos

Portugal supera média europeia nos atrasos de pagamentos das empresas

Portugal supera média europeia nos atrasos de pagamentos das empresas

Segundo o estudo “Análise do comportamento dos pagamentos das empresas 2019”, elaborado pela empresa de consultoria Informa D&B, Portugal está entre os países europeus que registam o índice mais elevado de Atraso nos Pagamentos.

De acordo com este estudo, entre 2008 e 2018, a média de atraso nos pagamentos na Europa situou-se entre os 13 e os 15 dias, atingindo um máximo de 15 dias no segundo semestre de 2013 e um mínimo de 13,06 dias no segundo semestre de 2017.

Entre os países analisados por este estudo, Portugal é, simultaneamente com a Itália e o Reino Unido, um dos países onde a média de atraso nos pagamentos é mais elevada. É particularmente relevante que, no último trimestre de 2018, a média de atraso nos pagamentos das empresas em Portugal tenha atingido os 31,01 dias, superando a média europeia em 17,71 dias e a holandesa em 27,13 dias – a mais baixa da Europa.

Apesar da entrada em vigor da Diretiva 2011/7/UE do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu que estabelece medidas de luta contra os atrasos de pagamento, os comportamentos dos pagamentos entre os países europeus continuam a ser muito díspares.

Porque existem atrasos nos pagamentos?
Segundo a SERES, especialista em soluções de transação eletrónica segura de documentos, há três motivos principais que atrasam o pagamento das faturas. O primeiro é a não chegada da fatura ao seu destino; o segundo é a existência de discrepâncias na fatura; e o terceiro é que a entidade pagadora não quer ou não pode pagar dentro do prazo.

Quase 50 % dos atrasos ocorrem pelos dois motivos, no período compreendido entre a emissão e o vencimento da fatura, e podem ser facilmente evitados com a adoção da fatura eletrónica.