Responsabilidade Social

El Corte Inglés assina Carta Portuguesa para a Diversidade

El Corte Inglés assina Carta Portuguesa para a Diversidade

O El Corte Inglés assinou, voluntariamente, a Carta Portuguesa para a Diversidade, um instrumento desenvolvido pela Comissão Europeia que tem como objetivo encorajar as entidades empregadoras a implementar e desenvolver políticas e práticas de promoção da diversidade.

“As palavras ‘diversidade’ e ‘inclusão’ fazem parte de nós, definem-nos como um grupo e os números comprovam-no. Do nosso universo de colaboradores, 66% são mulheres e 34% homens. A percentagem de mulheres em cargos de chefia ronda os 50%. Cerca de 2% possuem algum tipo de incapacidade ou deficiência e 5% são estrangeiros, provenientes de 20 diferentes nacionalidades. Temos colaboradores de 4 gerações diferentes que vão desde os 18 aos 70 anos”, refere o El Corte Inglés, em comunicado.

“A Inclusão é ir mais além. É garantir que toda esta diversidade existente na empresa perdure, que nenhum colaborador seja descriminado e que todos possamos ter as mesmas hipóteses de desenvolvimento e de promoção. Garantimos, assim, que a nossa empresa está de portas abertas a diferentes profissionais, venham de onde vierem, sejam como forem”, explica Susana Silva, diretora de Pessoas do El Corte Inglés.

Para além das práticas de recrutamento, seleção e contratação, os projetos da empresa passam ainda pela dinamização de sessões para os beneficiários das instituições e, do mesmo modo, em outros casos, são as instituições que dinamizam sessões tendo em vista a capacitação dos colaboradores do El Corte Inglés na sua preparação para acolher a pessoa com deficiência.

A integração de pessoas com deficiência ou incapacidades pressupõe ainda a implementação de ações de ajustamento das condições de trabalho, como sejam a adaptação dos meios e equipamentos, a alteração de equipas de trabalho ou das suas tarefas, ou mesmo a reorganização dos processos de trabalho.

Susana Silva acrescenta que “a empresa tem apostado no compromisso para desenvolver ações que garantam a equidade e solidariedade, a promoção do direito, mas também o dever de todos participarmos e contribuirmos para um desenvolvimento sustentável”.