Responsabilidade Social

Projeto ‘Surf Salva’ ensina a conhecer riscos de agueiros

Projeto ‘Surf Salva’ ensina a conhecer riscos de agueiros

O projeto ‘Surf Salva’, do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN) e do Lidl Portugal conta agora com um simulador de agueiro para ensinar os banhistas a atuarem perante este perigo. De acordo com o Lidl Portugal, durante as ações deste ano serão também promovidos vários rastreios gratuitos à pele, em parceria com a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).

“Depois de ter promovido ações de sensibilização e de formação em salvamento aquático e suporte básico de vida, junto de 413 nadadores salvadores, surfistas e amantes de desportos náuticos, entre maio e julho deste ano, o projeto Surf Salva alarga agora a sua intervenção a todos os banhistas. Tendo arrancado a 30 de julho na praia de Matosinhos, a iniciativa ‘Surf Salva para Todos’ irá decorrer em seis praias, de norte a sul do país, oferecendo formações gratuitas, direcionadas a todos os banhistas, sobre práticas de salvamento e boas práticas a adotar no mar, disponibilizando uma experiência inovadora com um simulador de agueiro”, explica o Lidl Portugal, um dos promotores desta iniciativa.

Segundo Vanessa Romeu, diretora de comunicação corporativa do Lidl Portugal, “o ‘Surf Salva’ já faz parte do calendário da época balnear. Todos os anos temos procurado melhorar a aposta na prevenção com soluções inovadores e que contribuam para que os Portugueses possam usufruir da praia cada vez mais em segurança.”

Os agueiros são uma das principais causas de afogamento, razão pela qual o ISN e o Lidl consideram importante que os banhistas os saibam identificar. De acordo com o Comandante Paulo Tomás de Sousa Costa, Diretor do ISN “o ‘Surf Salva’ é um projeto pioneiro na Europa, com muito bons resultados. É gratificante confirmar o interesse dos praticantes de desportos aquáticos, e dos banhistas em geral, em aprender e contribuir para a segurança nas praias, participando cada vez em maior número neste projeto”. Em relação à introdução do simulador de agueiro no projeto, o responsável do ISN adianta ainda que “os agueiros estão na origem de 80% das ações de salvamento nas praias e podem mesmo ser fatais causando a morte por afogamento. É essencial que os banhistas saibam identificar um agueiro, evitando-o.”