- Distribuição Hoje - http://www.distribuicaohoje.com -

Tetra Pak investiga aplicações do grafeno na indústria alimentar

A Tetra Pak uniu-se ao projeto europeu Graphene Flagship para a investigação do grafeno na indústria da alimentação e bebidas. A empresa é o único representante do setor das embalagens envolvido no projeto que envolve académicos e outros profissionais da indústria com o objetivo de analisar as possíveis aplicações do grafeno, um material fino, leve e resistente.

De acordo com a Tetra Pak, “são muitos os que reconhecem o grafeno como o material do futuro. Composto à base de carbono, trata-se de um dos materiais mais finos que se conhece atualmente (aproximadamente um átomo de espessura) sendo por sua vez incrivelmente forte (aproximadamente 200 vezes mais forte que o aço). É também um excelente condutor de calor, eletricidade e um bom absorvente de luz.”

“Tendo em conta estas propriedades, já há alguns anos que se têm vindo a estudar as vantagens que o uso do grafeno pode trazer a qualquer indústria, incluído a da alimentação e bebidas, e, mais concretamente no seu uso em soluções de embalagem”, acrescenta a empresa.

Em comunicado, a Tetra Pak diz que está já a avaliar o potencial de aplicação do grafeno “num conjunto de inovações que irão revolucionar a indústria alimentar e de bebidas”, nomeadamente, de que forma se poderá converter o grafeno numa alternativa de materiais para embalagens que reduza a pegada de carbono na cadeia de produção.”

“Outra aplicação do grafeno passa pelo uso deste material no fabrico de embalagens inteligentes. Os sensores flexíveis ultrafinos de grafeno podem ser integrados em todas as embalagens da Tetra Pak como portadores de informação, tanto para os retalhistas como para os consumidores. Além disto, os sensores de grafeno são mais pequenos, mais leves e mais económicos que os sensores tradicionais. Além das embalagens, a investigação incide também sobre os equipamentos e de que forma o grafeno pode ajudar a desenvolver tecnologia mais leve e eficiente do ponto de vista energético, potencialmente reduzindo o consumo de energia. Com estas pequenas modificações nos equipamentos será possível poupar tempo e dinheiro”, explica a empresa.