Produção

Font Salem quer faturar 200 M€ em Portugal em 2020

Font Salem quer faturar 200 M€ em Portugal em 2020

A Font Salem anunciou na passada sexta-feira (9 de fevereiro) um investimento de 40 milhões de euros na sua unidade de produção em Santarém. A empresa prevê conseguir duplicar a sua produção de cervejas e refrigerantes para um total de 4 milhões de hectolitros anuais.

Em declarações à DISTRIBUIÇÃO HOJE, Antoni Folguera, Administrador e Diretor-Geral da Font Salem, revela que este investimento irá traduzir-se na criação de 40 novos postos de trabalho e deverá permitir duplicar a faturação já em 2020.

De acordo com o Administrador da Font Salem, “atingimos o máximo da nossa capacidade. Todas as nossas fábricas, incluindo esta em Portugal, ultrapassam 90% da sua capacidade, portanto para cobrir o crescimento previsto para os próximos anos precisamos de maior capacidade. Podíamos ter feito este investimento em Espanha, mas a maior parte do nosso investimento e crescimento vai ser feito cá em Portugal”.

Este investimento será feito sobretudo em equipamento, nomeadamente através da duplicação da capacidade de produção da sala de fabrico de cerveja, com mais caldeiras e depósitos de fermentação, e com uma linha de enchimento de vidro, “porque as exportações se estão a desenvolver nesta área e há muita procura em mercados asiáticos pelo vidro português”, revela Antoni Folguera.

Como explica o responsável, a unidade de produção de Santarém, comprada em 2010 pelo Grupo Damm, “tem as condições fundamentais para este crescimento, tanto em área e terreno disponível, e porque temos perspetivas de crescimento no mercado interno em Portugal, tanto ao nível das marcas de distribuição e serviços de co-packing para outros fabricantes. Temos grandes perspetivas de incremento com clientes que estão situados no Oeste de Espanha e entendemos que é mais eficiente prestar o serviço desde a fábrica de Santarém. Note-se, por exemplo, que para fornecer Sevilha, que é um ponto importante de consumo de cervejas e refrigerantes porque é muito quente, é mais perto fazê-lo a partir de Santarém do que Valência. A competitividade logística obviamente é muito importante para nós. Para além disso, no que diz respeito ao acesso aos mercados internacionais, aqui temos uma grande proximidade com o Porto de Lisboa, estamos muito perto da autoestrada…tudo isto faz com que as comunicações aqui sejam muito eficientes”.

“Quando o investimento estiver concluído, em 2020, vamos criar 40 postos de trabalho e duplicar o nosso volume de faturação.”

Atualmente, a unidade de produção de Santarém exporta para cerca de 70 países e produz mais de 300 tipos de bebidas e 1400 referências, muitas delas para as maiores cadeias de distribuição presentes em Portugal, como o Continente, Minipreço e Pingo Doce. Segundo Antoni Folguera, este número de referências “é uma loucura”, mas quando o investimento de 40 milhões de euros estiver concluído deverá crescer. “Do ponto de vista industrial, nós não gostaríamos de aumentar mais, mas a verdade é que temos uma necessidade comercial…Este aumento irá responder a marcas da distribuição com novos projetos. Temos o caso de um distribuidor português que trabalhava com um concorrente nosso em Espanha e importava e que agora vai trabalhar connosco, mas temos também novas marcas de clientes de exportação.”

De acordo com o Diretor Geral da Font Salem, “quando o investimento estiver concluído, em 2020, vamos criar 40 postos de trabalho e duplicar o nosso volume de faturação. Em 2017 faturámos, cá em Portugal, cerca de 100 milhões de euros e portanto quando este investimento estiver concluído esperamos faturar 200 milhões de euros. Obviamente que a capacidade nem sempre se traduz em vendas, mas esse é o nosso objetivo. Quanto ao número de referências produzidas, espero que não sejam duplicadas porque vai ser uma loucura a nível de gestão, mas devemos conseguir um crescimento de pelo menos 50%”, conclui.