Produção

Chá dá saúde a corpo e mente

Ritual saudável ganha novos adeptos

O mercado do chá tem beneficiado de uma aposta dos consumidores num estilo de vida saudável, dando maior atenção à saúde e bem-estar.

“A categoria de chás e infusões não poderia estar num melhor momento, porque ao longo dos anos tem sido associada a um grande número de benefícios que complementam uma dieta equilibrada e ajudam a ter um estilo de vida saudável”, diz à DISTRIBUIÇÃO HOJE a marketing brand manager da Lipton Leaf Tea, Sara Melo.

Também o responsável da unidade de negócio Mais Marcas do grupo Nabeiro constata que “atualmente, há uma maior consciência da importância da saúde e bem-estar, e na adoção de estilos de vida saudáveis e a Tetley consegue responder a esta crescente tendência, através da oferta diversificada de chás pensados para diferentes momentos de consumo e para tornar a experiência ainda mais saborosa e inesquecível”. José Sequeira adianta que a “Tetley segue as tendências internacionais ditadas pela marca e pela categoria e que se baseiam no Health Living e Body & Soul”.

Novos sabores e formas de consumo

Enquanto a diretora comercial de Marca Própria do Pingo Doce afirma que “o crescimento dos chás passa pela inovação associada à funcionalidade, à saúde / bem-estar e ao ingrediente e que se traduz num consumo cada vez mais exigente em termos de sabores ‘da moda’ ou mais premium – exemplo o chá Matcha, chá com curcuma, chá verde, ou funcional, como por exemplo os chás Detox”.

Rita Manso salienta que “a tendência saudável, a preferência por produtos naturais, com menos açúcar, são uma oportunidade para o crescimento dos chás. A responsável adianta que “o ponto fulcral dos sabores de sucesso são os benefícios que o consumidor valoriza e os fazem experimentar e recomprar os produtos”.

Chá sustentável

Nas tendências a responsável da Lipton diz ainda que “hoje, os consumidores gostam de fazer experiências com diferentes chás e ervas, misturando frutas, especiarias, e experimentando, não só os famosos saquinhos, as pirâmides, como também as cápsulas. Para além disso, são cada vez mais aqueles que aderem ao chá a granel como reflexo do consumo consciente”. E frisa: “outra tendência que sobressai junto dos consumidores é o mindfullness ambiental, pois o consumidor de hoje está mais consciente do impacto que marcas tão populares podem ter no planeta e nas gerações futuras”.

Assim, “a marca Lipton está muito empenhada em trabalhar para oferecer soluções sustentáveis que reduzam não só a nossa pegada ambiental, como a de todos os nossos consumidores. É uma forte defensora da biodiversidade e do equilíbrio natural nas suas plantações de chá e, todos os anos planta árvores que mantêm a fauna e a flora imprescindível à manutenção da vida na Terra. Tencionamos também reduzir ou até mesmo eliminar, o uso de pesticidas nas nossas plantações e trabalhamos em parceria com a Rainforest Alliance, com o objetivo de incentivar o uso de alternativas biológicas”.

Gorreana: português, biológico e sustentável

Naturalmente biológico é o chá da Gorreana, da ilha de São Miguel, nos Açores, assegura Madalena Motta, gestora da empresa centenária. “Não existem pragas na ilha e os solos são limpos. A limpeza dos campos é feita manualmente e também por monda térmica. Em breve, muito breve já temos o selo de biológico”.

A empresa é também sustentável, uma vez que “tem a sua própria energia, uma hidroelétrica que funciona desde o princípio do Séc. XX, não poluente. Esta hidroelétrica faz também com que os custos do chá desçam por causa do preço da energia”, diz Madalena Motta, acrescentando: “Se tivéssemos que pagar energia hoje a Gorreana tornava-se insustentável. O chá requer muita mão-de-obra, é também uma das razões que este ‘vive’ mais nos países de mão-de-obra barata como Bangladesh, Índia, China e África”.

Os Açores são o único local da Europa onde há plantações de chá e a responsável salienta que “as plantas do chá da Gorreana são plantas que se adaptaram muito bem ao nosso clima, ao rossio do mar, fazendo com que a nossa planta se tenha transformado ao longo dos anos, hoje é uma planta com características próprias.

Chás de frutos, saudáveis e infusões frias

As novidades no mercado do chá apontam para novos sabores, adição de ‘ingredientes’ saudáveis e novas infusões a frio.

Enquanto Sara Melo nos diz que a Lipton vai apostar “numa nova gama de produtos, que foi desenhada com base nos insights dos nossos consumidores, Lipton Fruitonics, uma verdadeira explosão de aromas que combina sabores quentes, doces, especiarias e frutas tropicais” e ainda: “Também trouxemos uma gama de chás inspirados em Sabores do Mundo porque sabemos que cada vez mais as pessoas não só gostam de viajar e conhecer novas culturas como experienciá-las no seu dia-a-dia”, assim “voámos até ao Japão e trouxemos uma combinação delicada e aromática inspirada nas árvores de flor de cerejeira, depois fizemos uma pit stop na Austrália e aventurámo-nos pelos aromas frescos e intensos da menta e do eucalipto. Por fim, escolhemos a Tailândia como destino ideal para encontrar a nossa paz interior e carregar energias com uma suave infusão de camomila e erva-príncipe”.

José Sequeira da unidade do grupo Nabeiro que gere a Tetley adianta que nos novos chás da marca “destacamos a gama Tetley Super Tea, que tem Vitaminas e Minerais adicionados de forma cientificamente comprovada, ou a gama Tetley Cold, que permite desfrutar da infusão em água fria, sem adição de quaisquer açúcares ou conservantes”.

Por seu lado, Madalena Motta conta-nos que a Gorreana “está a devolver com a Universidade dos Açores uma nova linha de chá, com as ervas aromáticas, fruta e sementes dos nossos Açores e que brevemente vai estar no mercado”.