Empresas

Jerónimo Martins e Sonae estão entre as empresas com maior valor reputacional

Jerónimo Martins e Sonae estão entre as empresas com maior valor reputacional

A Jerónimo Martins (71%) e a Sonae (71%) estão entre as organizações com maior valor reputacional em função do Enterprise Value. A conclusão é do mais recente estudo da OnStrategy, que revela também que, em média, 63% do valor financeiro das organizações do PSI 20 está diretamente relacionado com a sua reputação.

De acordo com o estudo, em Portugal, as organizações com maior valor reputacional relativo em função do Enterprise Value são os CTT (71%), a Jerónimo Martins, a Sonae (71%) e The Navigator Company (70%). A EDP, cujo valor financeiro da reputação corresponde a 65% do seu Enterprise Value, é a organização menos exposta a um risco reputacional (22% do valor financeiro da reputação).

Para Pedro Tavares, Partner e CEO da OnStrategy, “as marcas são o ativo mais importante e de maior valor financeiro que as organizações possuem; contudo, as marcas são também o ativo mais exposto a riscos e consequentemente a crises. E nas organizações todos ‘contaminam’ positiva ou negativamente a marca, todos são embaixadores ou detratores da marca e todos são de alguma forma responsáveis pelos sucessos e pelos insucessos, pelos benefícios e pelos prejuízos da marca. Vivemos na era da Economia Reputacional; uma realidade que não é nova mas que é cada vez mais evidente e consciente devido à maior exposição que as marcas e os casos de crise das mesmas se tornam visíveis.”

O responsável refere também que “nas organizações, a reputação e a gestão da mesma está intimamente ligada ao mapeamento e gestão de forma integrada dos seus recursos humanos, físicos, intelectuais e financeiros, e dos seus stakeholders para potenciarem a admiração, confiança, a preferência, a compra e a recomendação, a vontade de trabalhar e a propensão de investir dos mesmos. As organizações enfrentam hoje o grande desafio de conseguir integrar de uma forma multidisciplinar a gestão e avaliação reputacional em todos os departamentos da organização, e simultaneamente evidenciar o valor financeiro da reputação e dos riscos reputacionais nos negócios e nas marcas (indicando benefícios e custos associados)”. Conclui o responsável da primeira consultora portuguesa a estudar e a calcular o valor económico da reputação e dos riscos reputacionais.”