Meios de Pagamento

Esqueceu-se da carteira em casa?

smartphone - Distribuição Hoje

O novo serviço da SIBS, anunciado no ano passado, já está disponível e permite levantar dinheiro através de uma app, em qualquer uma das mais de 12 mil caixas multibanco espalhadas pelo país.

Para tal, é necessária a adesão ao serviço MB WAY, numa caixa multibanco , no homebanking ou através da página de criação de cartões no site MB NET, e instalar a aplicação no dispositivo móvel android, iOS e Windows. Através da app MB WAY o cliente poderá selecionar o cartão com que quer fazer a operação, escolher a opção ‘Levantar dinheiro’ e introduzir o montante pretendido. Após autenticar a operação, o MB WAY gera automaticamente um código de 10 dígitos que permite efetuar o levantamento em qualquer caixa multibanco. Os utilizadores MB WAY podem ainda enviar o código para outra pessoa, por notificação ou sms, para que esta possa efetuar o levantamento do montante selecionado.

No MULTIBANCO basta ao utilizador (ou a quem este enviou a notificação ou sms) carregar na tecla verde e introduzir o código gerado pelo MB WAY para receber o dinheiro. Este código é único e tem um tempo de utilização limitado. O código tem validade de meia hora. Após este limite o código gerado expira, sendo necessário repetir o processo para gerar um novo código na app MB WAY.

Esta nova funcionalidade vem associar-se às restantes funcionalidades de pagamento já disponíveis na app MB WAY: transferências instantâneas (enviar ou receber dinheiro como se de um sms se tratasse, em segundos), compras (online e em loja) e utilização de cartões virtuais (MB NET).

Para os utilizadores mais cépticos em relação à segurança do serviço, a SIBS garante que ele é seguro. “A app MB WAY utiliza protocolos e algoritmos de segurança – nos dispositivos mais avançados, o reconhecimento pode até ser feito por impressão digital –, garantindo a confidencialidade, integridade e autenticação dos dados transmitidos, processados e armazenados, seguindo as mais recentes e exigentes normas de segurança europeias”, tranquiliza a entidade.