Pagamentos

Pagamentos com wearables crescem oito vezes na Europa em 2019

Pagamentos com wearables crescem oito vezes na Europa em 2019

Os pagamentos através de wearables têm vindo a crescer fortemente na Europa, com o número de transações a aumentar oito vezes este ano, por comparação com 2018. O aumento do número de wearables preparados para fazerem pagamentos e a adesão dos consumidores a este tipo de dispositivos estão na base deste impulso registado no continente europeu.

Neste momento, existem mais de 30 dispositivos wearables diferentes e a oferta de soluções de pagamento já está disponível em 26 países da Europa. Mas é na Holanda que se registam o maior número de transações com wearables – incluindo wearables com bateria e sem bateria, como pulseiras, anéis e relógios -, representando um terço (33%) de todas as transações com wearables, seguindo-se o Reino Unido (18%), Suíça (8%) e Rússia (7%).

A nível global, a maioria dos pagamentos com wearables foram feitos na Austrália, seguida dos Países Baixos. Todos os países no top 10 global são europeus, à exceção dos Estados Unidos que ocupam a oitava posição. O número total de transações europeias com wearables na Europa foi quase 20 vezes (19,4) superior ao número de transações efetuadas na América do Norte.

A tecnologia está literalmente na moda
As marcas de moda também têm vindo a aderir progressivamente à evolução tecnológica nos wearables e oferecem, atualmente, acessórios topo de gama e alguns de luxo e não apenas funcionais. Hoje, um em cada cinco adultos já usa um smartwatch ou uma pulseira de fitness, estimando-se que, até 2020, o mercado atinja um valor de 30 mil milhões de euros em todo o mundo. Além disso, este tipo de dispositivos oferece uma solução de pagamento ainda mais fácil e conveniente, através de um mero toque ou swipe.

Pagamentos com wearables crescem oito vezes na Europa em 2019Forte adoção do contactless
Os pagamentos contactless estabeleceram-se como um fator decisivo no quadro dos pagamentos internacionais, ganhando popularidade entre os emissores, comerciantes e consumidores. Na Europa, 61% de todas as transações em loja são já contactless, representando um crescimento de 23% desde o início de 2018. A aceitação de pagamentos contactless no comércio também aumentou significativamente neste último ano, de 42% para 70%.

Esta forte aceitação e adoção propicia, naturalmente, a adesão aos pagamentos com wearables, tendo em consideração que os mesmos podem ser utilizados em todos os terminais que aceitem a tecnologia contactless.

Para Paulo Raposo, director-geral da Mastercard em Portugal, uma das companhias que mais tem apostado nestas novas formas de pagamento, esta rápida adoção por parte dos consumidores deve-se ao facto dos consumidores “quererem pagamentos mais rápidos e convenientes, desde que o provedor seja uma marca confiável”. E explica que “é notável ver a facilidade com que os consumidores aderem a estas tecnologias inovadoras de pagamento, que estão totalmente em sintonia com um estilo de vida crescentemente conectado digitalmente”. Paulo Raposo acrescenta, ainda, “que os wearables proporcionam maior conveniência, confiança e a segurança necessárias”.

Wearables com e sem bateria
Um dispositivo wearable, por exemplo um anel, uma pulseira ou smartwatch, tem capacidade de comunicação por NFC (campo de proximidade). Depois de associar um cartão de débito ou crédito, pode utilizar-se o dispositivo para fazer pagamentos contactless. Existem wearables “sem bateria” e “com bateria”. Com um wearable sem bateria, como um anel, a transação é aprovada por um código PIN introduzido no terminal de pagamento, assim como se faz com um tradicional cartão de plástico. Com wearables com bateria, como é o caso de um smartwatch, por exemplo, pode inserir-se o PIN no próprio wearable e completar o pagamento com um único toque.

Top dos 10 dos países europeus em pagamentos com wearables:

  1. Holanda
  2. Reino Unido
  3. Suíça
  4. Rússia
  5. Polónia
  6. Suécia
  7. República Checa
  8. Finlândia
  9. Alemanha
  10. Ucrânia