Retalho

5 coisas que precisa de saber sobre a inteligência artificial no retalho

Tudo o que precisa de saber sobre a inteligência artificial no retalho

A inteligência artificial deverá valer cerca de 5 mil milhões de dólares já em 2020. Em breve, bastará entrarmos numa loja e indicar que precisamos de um casaco novo para que várias opções nos sejam apresentadas. Por um robot. E se há uns anos atrás todos ficámos espantados com a Siri, a assistente pessoal da Apple, em 2017 já todos nos habituámos a comunicar com dispositivos e softwares.

E de acordo com o website The Future of Customer Engagement and Commerce, o retalho, mais do que qualquer outro setor, quer embarcar nesta tendência o mais rápido possível para conseguir atrair novos consumidores e encontrar novas formas de vender. Eis as grandes tendências de inteligência artificial a que deve estar atento nos próximos anos.

  1. Os websites vão evoluir com os consumidores

São poucos os retalhistas que hoje em dia ainda não fazem uso dos dados que recolhem para construir o perfil do seu consumidor. Isto significa que com base nas compras, hábitos de pesquisa, comportamento de cliques, idade e género é possível apresentar um conjunto de sugestões apropriadas para cada cliente. Melhor ainda? Graças a vários algoritmos, as sugestões vão-se tornando mais certeiras ao longo do tempo.

  1. Chatbots vão passar a ser assistentes inteligentes

Os chatbots já se tornaram mainstream, seja em websites de retalhistas ou em aplicações como o Facebook Messenger. E os retalhistas que ainda não perceberam a sua verdadeira utilidade começam agora a acordar para o seu potencial. A Opel, por exemplo, utilizou um chatbot para conseguir aumentar as vendas de um dos seus modelos de automóveis.

Por enquanto, a maioria dos chatbots continuam a depender de respostas automáticas, mas em breve, todos os bots terão a capacidade de aprender à medida que forem recolhendo dados e de executarem tarefas mais complexas, o que os aproximará ainda mais de uma interação humana.

  1. Cada cliente recebe promoções desenhadas à sua medida

Num futuro bastante próximo, será também possível criar promoções e programas de fidelização completamente à medida de cada um dos clientes. De acordo com o The Future of Customer Engagement and Commerce, isto significa, por exemplo, que os retalhistas terão sempre descontos nos produtos preferidos de cada um dos seus consumidores.

Para além disso, os programas de fidelização permitirão a cada um dos clientes angariar pontos da forma que preferirem. As ofertas, por sua vez, serão desenhadas de acordo com a preferência e os interesses de cada cliente.

  1. Provadores inteligentes para melhorar a experiência de compra

Levou uma camisola preta para o provador, mas afinal gostava de experimentar também a branca e a azul? Em breve, não terá que sair do provador e voltar a entrar. Graças a espelhos inteligentes, pode ver que outras cores estão em stock na loja, simular a prova e ainda pedir conselhos de moda, pedindo-lhe que apresente os modelos que melhor assentam na sua silhueta.

  1. Sim, vamos continuar a precisar de humanos

Com todas estas novas tecnologias e utilidades para a inteligência artificial, será ainda mais importante que os humanos provem o seu valor. A tendência é para operadores de loja ainda mais competentes, mais simpáticos e com melhores conhecimentos acerca dos produtos que vendem. Não nos vamos tornar obsoletos, mas conseguiremos executar as nossas tarefas de forma mais fácil.